Educação Pandemia

Alunos da EJA e estudantes do 6º ao 9º ano da rede pública voltam às aulas presenciais no DF

Sala de aula vazia no Distrito Federal — Foto: TV Globo/Reprodução

Por G1 DF

Estudantes do 6º ao 9º ano da rede pública do Distrito Federal voltam às aulas presenciais nesta segunda-feira (16). Ao todo, 124.262 alunos estão matriculados nas séries finais de 190 escolas.

No mesmo dia, também retornam às salas de aula os estudantes que cursam o 2º e 3º segmentos da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Segundo a Secretaria de Educação, fazem parte desse grupo 33.778 alunos registrados em 89 escolas do DF.

Mais de 1 ano longe das escolas

 

As atividades presenciais nos colégios estavam suspensas desde março de 2020, por causa da pandemia do novo coronavírus. Até que, em maio deste ano, o governador Ibaneis Rocha (MDB) confirmou o retorno das aulas presenciais em agosto.

Para a volta, foi necessário imunizar os 56 mil professores da rede pública contra a Covid-19. Outra medida adotada foi a elaboração de um protocolo para atividades presenciais. O documento foi aprovado pelo Conselho de Educação do DF na semana passada (veja abaixo o que diz o Sindicato dos Professores).

Modelo híbrido

 

Segundo a Secretaria de Educação, para o retorno, as turmas foram divididas, e a volta dos alunos está sendo feito em sistema de rodízio, no modelo híbrido. A cada semana, um grupo de estudantes terá aula presencial, enquanto o outro fará atividades em casa.

Os estudantes que voltam, nesta segunda-feira (16), fazem parte do quarto grupo a retornar para as escolas. Em 2 de agosto, foi a vez dos professores. Depois, no dia 5, os alunos da Educação Infantil retornaram. Em 9 de agosto, os matriculados do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, e no 1º Segmento da EJA também puderam sentar novamente nas salas de aula.

Veja abaixo o calendário de volta às aulas:

  • 2 a 4 de agosto: encontro pedagógico (para professores)
  • 5 de agosto: retorno dos alunos da Educação Infantil
  • 9 de agosto: retorno dos alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) e do 1º Segmento da EJA
  • 16 de agosto: retorno dos anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) e do 2º e 3º segmentos do EJA
  • 23 de agosto: retorno dos alunos do Ensino Médio e da Educação Profissional e Tecnológica
  • 30 de agosto: retorno de todos os demais atendimentos (Escolas de Natureza Especial, CILs, Centros de Ensino Especial e demais atendimentos)

 

Casos Covid-19

Ao G1, o presidente do Sindicato dos Professores (Sinpro-DF), Samuel Fernandes, disse que a entidade “acompanha as condições físicas e sanitárias das unidades escolares”.

“Várias escolas apresentam problemas como falta de ventilação adequada nas salas de aula, falta de local apropriado para os alunos lancharem (momento que ficam sem as máscaras), fora os casos de Covid-19 que foram confirmados em alguns professores nos últimos dias, causando preocupações para professores, alunos, e toda a comunidade escolar, pois a pandemia ainda existe e continua matando pessoas todos os dias!”, disse Samuel, por meio de nota.

Sobre a pandemia, a Secretaria de Educação informou que “está registrando casos suspeitos e confirmados de [infecção a] Covid-19 em estudantes e profissionais da educação”.

A pasta, no entanto, não divulgou o número de pessoas infectadas. A secretaria disse apenas que os casos estão sendo encaminhados para a unidades básicas de saúde (UBS) e afirma que quem teve contato com casos suspeitos é isolado e monitorado.

“Os sintomáticos estão sendo imediatamente isolados e encaminhados para avaliação médica. A depender da indicação do médico assistente, são testados. Em caso de resultado negativo, ele é orientado a retornar às atividades escolares”, disse a secretaria em nota.

Orientações da Secretaria de Educação

 

Retorno presencial dos estudantes matriculados nos anos iniciais da educação infantil no DF.   — Foto: Mary Leal/Ascom/SEEDF

Retorno presencial dos estudantes matriculados nos anos iniciais da educação infantil no DF. — Foto: Mary Leal/Ascom/SEEDF

Segundo a Secretaria de Educação do DF, os estudantes vão encontrar as salas de aula com cadeiras e mesas mais distantes umas das outras, e o uso de máscara é obrigatório. Na entrada, todos terão a temperatura aferida e deverão higienizar as mãos.

Antes que o estudante saia de casa, a pasta listou uma série de orientações para os pais e responsáveis:

  1. Verificar, se possível, a temperatura do estudante
  2. Avaliar a existência de sintomas, como febre acima de 37,8⁰, coriza, tosse, dor na garganta e diarreia
  3. Conversar sobre a importância do uso adequado e cuidados com a máscara
  4. Orientar quanto aos cuidados com os pertences individuais e sobre higienizar/desinfectar esses objetos
  5. Lembrar a criança de higienize as mãos várias vezes ao dia
  6. Impedir que estudantes com sintomas, mesmo que fracos, de resfriado ou gripe, compareçam à escola

 

A secretaria também pede que os estudantes levem para a escola os seguintes itens:

  • Máscara de proteção que deve ser usada para cobrir a boca e o nariz
  • Material didático
  • Garrafinha ou copo para beber água

 

Dentro da escola, as recomendações são:

  • Usar permanentemente a máscara de proteção contra Covid-19
  • Evitar tocar olhos, nariz e boca
  • Respeitar o distanciamento das mesas e cadeiras
  • Higienizar sistematicamente as mãos por meio da lavagem com água e sabão ou do uso de álcool 70%
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, tais como: máscaras, talheres, pratos, copos ou garrafas
  • Não compartilhar objetos pedagógicos individuais, tais como: caneta, lápis, borracha, régua, caderno, brinquedos e jogos dentre outros
  • Manter as salas de aula abertas e arejada;
  • Evitar abraços, beijos e apertos de mãos
  • Evitar contato físico, mas sempre com um sorriso no rosto