Holístico

Conheça a origem da radiestesia, o seu significado e como ela funciona

 

Para entendermos melhor como a radiestesia funciona, devemos compreender sua origem. Antes de receber este nome, a radiestesia era chamada de rabdomancia, que significava “adivinhação por meio da varinha”, e até o início do século XX foi considerada apenas como mais uma forma de adivinhação empregada principalmente na procura de fontes de água e jazidas minerais.

A palavra radiestesia foi criada em 1892 por Abade Bouly e representa a união de dois termos: radius, que vem do latim e significa radiação, e aisthesis, de origem grega e que significa sensibilidade, indicando assim a sensibilidade às radiações.

A captação de energias na radiestesia e alguns instrumentos utilizados

A radiestesia funciona na forma de captação da energia cósmica (também chamada Prana, Ki, Chi etc.), que é a energia de vida universal que banha nosso planeta. Ela penetra no ápice da nossa cabeça, pelo chakra coronário, e se distribui pelos chakras restantes do corpo humano.

De acordo com a radiestesia, as radiações energéticas nocivas ou benéficas passam sobre nossos corpos e nos afetam da mesma forma que somos afetados pela radiação do sol, da Lua, da Terra e, como sabemos, das outras pessoas, porque mesmo pensamentos criam energias que se irradiam através de nossos corpos.

 

A radiestesia funciona também captando a energia telúrica, que é aquela que emana do centro da Terra e que é captada pelos chakras de nossos pés.

Como instrumento para a prática da radiestesia, podem-se usar varas, pêndulos, aurameter, dual-road etc. O pêndulo é talvez o mais comum dos instrumentos e é formado por uma ponteira de cristal, madeira ou metal suspenso por um fio.

Qualquer pessoa pode praticar a radiestesia e não é necessário nenhum dom especial, apenas disciplina e prática constante. O radiestesista convencional, normalmente, observa a movimentação do pêndulo, se girar no sentido horário, estará dando uma resposta afirmativa, se girar no sentido anti-horário, será uma resposta negativa. Mas as respostas não se limitam a sim e não. Com o uso de gráficos e tabelas, pode-se chegar a outras respostas.

 

Faça um comentário

Clique aqui para fazer um comentário