Economia Emprego Trabalho

Escravidão legalizada

 
 

CLDF debate sobre as condições de trabalhos de entregadores de aplicativo

 

 Por -Ataíde Santos 

 

A escravidão tem várias modalidades vão desde a sexo-psicológica até a tecnológica.

Com o uso de eufemismos, vemos a nossa força de trabalho ser tratado como “motoristas de aplicativo”, “entregador parceiro, “entregador de aplicativo” etc.

Expostos a todas as mazelas que a função de motorista sempre teve, e agora ainda mais acentuadas, quando para dirigir para aplicativos não precisam de licenças do Estado, semelhante aos taxis. Basta um carro e uns poucos documentos e  os aplicativos lhes autorizam a entrarem na nova modalidade.

Em sua grande maioria os motoristas fazem “bico” ou,  oriundos de famílias de poucas posses e desempregados, compram um carro em boas/médias condições de uso e sem qualquer “preparo” ou vivência  na noite, se aventuram e… Morrem nas mãos dos bandidos que estão na busca de vítimas pelas ruas e avenidas das cidades.

Em situação similar de perigo, jovens pobres com pouco estudo, morador da periferia muitos casados e com filhos, sem perspectiva de emprego formal e ainda mais agora, com direitos “retirados”, se aventuram no trânsito das grandes cidades, semelhantes aos “cachorros loucos que se “vingam” das humilhações sofridas agitando refrigerantes que irão entregar ao cliente.

Felizmente o Estado começa a voltar seu olhar para essa classe de cidadão, invisíveis enquanto este, e mais ainda enquanto trabalhadores, posto que o foco esteja no lucro dos donos de aplicativo e no prazer em degustar a comida trazida ainda quente, sabe-se lá em que condições. `

No distrito Federal a situação desses escr, digo cidadãos,  tende a mudar: O deputado distrital Fábio Félix (Psol-DF), irá nesta terça (11/02), a partir da 19 horas no plenário da casa,   para encontrarem, juntos, uma forma de dar segurança e regularidade a estes que já fazem parte do cenário das cidades e da vida moderna.

Em tempo -http://blogdoataide.com.br/ibaneis-propoe-monitoramento-de-motoristas-de-aplicativo/

PUBLICIDADE