O relatório diz que provavelmente não há “nenhuma explicação única” para esses fenômenos. “Não temos informação suficiente em nossas bases de dados para atribuir esses incidentes a causas específicas”, diz um trecho.

No documento, que enumera incidentes ocorridos entre 2004 e 2021, o serviço de inteligência reconhece que não tem explicação para mais de 140 fenômenos, mas toda a informação coletada continua sendo “pouco conclusiva”.

No ano passado, o Pentágono divulgou vídeos feitos por pilotos da Marinha americana em que se viam encontros em pleno voo com o que pareciam ser óvnis. Um desses vídeos é de 2004, e os outros dois, de 2015.

Após décadas de sigilo, o Congresso ordenou no ano passado ao Executivo que informasse o público em geral sobre as atividades da unidade do Pentágono encarregada de estudar o fenômeno. O Exército americano tenta determinar se os fenômenos têm relação com ameaças contra os Estados Unidos.

A aceleração dos objetos filmados pelos pilotos e sua capacidade de mudar de direção são difíceis de explicar. As agências de inteligência americanas temem que China ou Rússia estejam testando tecnologias hipersônicas, segundo um funcionário americano citado pela imprensa local.

Cinco possíveis explicações

No relatório, as autoridades americanas explicam que há cinco possíveis explicações para fenômenos relacionados a óvnis e extraterrestres. Segundo o texto, quando as respostas para os casos relatados forem encontradas, elas cairão em uma das categorias listadas abaixo:

  • Objetos dispersos no ar: podem ser pássaros, balões ou mesmo sacos plásticos que enganam radares
  • Fenômenos atmosféricos naturais: cristais de gelo, vapor ou até flutuações térmicas que acabam captados por equipamentos infravermelhos
  • Tecnologias em desenvolvimento: inclui sistemas ainda confidenciais desenvolvidos pelo governo ou por empresas americanas
  • Sistemas estrangeiros adversários: tecnologias desenvolvidas em países como Rússia e China, citados nominalmente pelo relatório dos EUA
  • Outros: de acordo com o governo dos Estados Unidos, alguns fenômenos relacionados a óvnis necessitam de novos conhecimentos científicos para serem analisados, com novas tecnologias. Por isso, não se enquadrariam nas demais categorias, neste momento.