Política

Moro tem responsabilidade direta no aumento da gasolina e do diesel e no empobrecimento dos brasileiros, diz Gilberto Bercovici

Gilberto Bercovici e Sergio Moro (Foto: Brasil 247/Felipe L. Gonçalves | Ricardo Stuckert)

Professor da USP afirma que Lava Jato foi instrumento para destruir engenharia, setor de petróleo e mudar a política de preços da Petrobrás. Assista na TV 247

247 – Professor Titular de Direito Econômico e Economia Política da USP, Gilberto Bercovici afirmou à TV 247 que o ex-juiz Sergio Moro, declarado parcial pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nos processos contra o ex-presidente Lula na Lava Jato, tem “responsabilidade direta” no aumento dos preços da gasolina e do diesel no Brasil e no empobrecimento dos brasileiros.

Bercovici esclareceu que não se pode destruir a economia nacional sob o pretexto de combater a corrupção, como fez a Lava Jato de Moro e Deltan Dallagnol. “Uma coisa é o discurso do combate à corrupção e eventualmente alguma outra medida que combata a corrupção, mas isso não pode servir de motivo e nem de justificativa para a destruição da economia nacional. O que a Lava Jato fez foi destruir parte importante da economia nacional. Ela destruiu o setor de engenharia em vez de punir os responsáveis por eventuais desvios. Se cometeu desvio, a pessoa tem que ser punida, é óbvio, mas o que não se pode fazer é usar isso como um biombo para destruir as empresas. A Lava Jato destruiu toda a engenharia nacional, gerou milhões de desempregados. Só a Petrobrás mandou embora mais de 200 mil pessoas, fora o que a Odebrecht, OAS e todas essas grandes empreiteiras mandaram. Além do desemprego direto, teve o desemprego indireto, que destruiu cadeias produtivas, de fornecimento, que destruiu setores inteiros da economia sob a desculpa do combate à corrupção, que é um discurso que pega fácil”.

Mas não só a Lava Jato tem participação no processo de desmantelamento da Petrobrás. O professor destacou o papel dos governos Michel Temer e Jair Bolsonaro: “o que aconteceu na Petrobrás a partir de 2016 foi uma política deliberada de abandono do parque de refino da Petrobrás, de cortar os investimentos, utilizar as refinarias abaixo da sua capacidade para que nós passássemos a importar mais combustíveis e derivados, especialmente dos Estados Unidos. Então o Brasil passa a ser um grande importador ao invés de produzir aqui. E se introduziu o famoso PPI (Preços de Paridade de Importação), em que todo o combustível que é produzido aqui, em Real, você paga em dólar”.