7 de setembro Mídia

Novela bolsonarista caminha para seu final

Bolsonaro decepciona seguidores com mais  um ultimato para Alexandre de Moraes

Por – Ataide Santos

 

A novela Bolsonarista, do ex-mestre do suspense político tupiniquim, se encaminha para seu final. Decepcionante para os incautos, indiferente para a maioria dos presentes ontem, pois seguiam, uns, determinação do seu pastor, outros ordens do seu patrão e ainda outros que nada mais faziam que turismo gratuito, com o dinheiro público como vimos em vídeo que corre nas redes sociais. Mas não mais preocupante, como quando Bolsonaro ainda tinha alguma credibilidade.

Seus infindáveis ultimatos já chegam  ser motivo de galhofa para muitos, pois se assemelham a “ganchos” utilizadas por escritores de novelas televisivas e/ou seriados, para apreender a atenção do de sua audiência.

Mas na vida real a história é diferente, pois enquanto Bolsonaro faz cortina de fumaça ameaçando as instituições e chamando a atenção da população, nos bastidores, Paulo Guedes e demais ministros e subordinados agem para destruir o que ainda resta da ex 6ª economia do planeta.

Não há que se negar que nos últimos dias aumentaram as expectativas com relação ao que faria o ainda presidente no dia 7 de setembro. Havia apreensão na população fomentada pelas promessas presidenciais e incrementada pela imprensa que nos levava crer que uma ruptura institucional  era iminente. Mas entre tanto terrorismo havia uma voz de serenidade, que dizia, firmado nas avaliações da conjuntura, que não haveria nada demais, além da decepção dos bolsomínions, sedentos,  de faca nos dentes e sangue no olho a espera de uma ordem que não viria, como de fato não veio.  Essa voz é do professor José Fernandes Junior que sequer conheço, mas que conquistou o meu respeito pela seriedade com que trata dos assuntos em seu portal e aos seus seguidores. Sem sensacionalismo, mas com alto nível profissional. Não o estou elogiando ou “puxando saco” mas fazendo uma constatação.

Assistam o vídeo abaixo e como eu, aprendam, e recupere a  tranquilidade – até isso usurpado pelo presidente ainda ocupando a cadeira mor do Planalto. – E retome a esperança, esperança não, porque pressupõe dúvidas, mas a certeza de que o Brasil tem jeito.

Assistam: