Abusos

Operação com desfile de tanques na Esplanada custou 16 mil auxílios emergenciais

Valor gasto em 2021 foi o maior desde ao menos 2016, segundo dados obtidos pelo Metrópoles via Lei de Acesso à Informação (LAI)

 

desfile de blindados na EsplanadaRafaela Felicciano
Enquanto brasileiros enfrentam cada vez mais dificuldade em pagar contas com a disparada da inflação e dos juros, a operação militar com desfile de tanques na frente do Palácio do Planalto, no dia 10 de agosto, custou aos cofres públicos R$ 3,7 milhões, o maior valor desde ao menos 2016, segundo série histórica enviada ao Metrópoles. O montante equivale a cerca de 16 mil parcelas do auxílio emergencial, benefício pago à famílias de baixa renda durante a pandemia da Covid-19.

O valor médio do auxílio emergencial 2021 é R$ 230 – e não de R$ 250, como tem sido anunciado pelo governo federal. Desde o início do crédito neste ano, o Ministério da Cidadania já cortou ao menos 4,4 milhões de brasileiros do pagamento do benefício.

O custo da Operação Formosa foi obtido pelo Metrópoles via Lei de Acesso à Informação (LAI). O evento é um conhecido treinamento da Marinha que ocorre anualmente no interior de Goiás. Desta vez, o entanto, foi recheado por ineditismos, incluindo um desfile dos blindados pela Esplanada e a presença do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como espectador.

A exibição foi interpretada por especialistas como uma intimidação ao Poder Legislativo, já que ocorreu na mesma data em que seria votada a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso – bandeira defendida por Bolsonaro. Mais tarde, a Câmara dos Deputados rejeitou a proposta, e o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), assinalou que o voto impresso é “assunto encerrado”.desfile de blindados na Esplanada

A justificativa para o trajeto feito pelos militares era a entrega de um convite ao mandatário do Executivo Federal, e outras autoridades, para participarem do dia de Demonstração Operativa, em 16 de agosto. Na resposta via LAI, a Marinha negou que a decisão de passar o comboio por Brasília tenha vindo da presidência da República.

“A passagem do comboio em Brasília foi decidida pelo Comando da Marinha com a finalidade de prestar de contas à sociedade, dando visibilidade e transparência ao exercício que foi conduzido e tradicionalmente é realizado desde 1988”, ponderou a Força.

O gasto realizado em 2021 foi o mais caro dos últimos cinco anos.

Confira os números abaixo:

Dentre os custos para o desfile realizado neste ano, a reportagem apurou gastos de R$ 1,78 milhão para custeio de bases, R$ 1,03 milhão para locação de ônibus para transporte, R$ 721 mil para combustíveis, lubrificantes e graxas, R$ 98,7 mil para materiais de saúde, R$ 16,6 mil para suprimentos de fundos e R$ 15 mil para passagens e diárias.