Política

Bolsonaro após gastar R$48 mi: Não foi caixa-preta, na verdade

Reprodução/Foco do Brasil/YouTube

Banco chegou a gastar R$ 48 milhões em auditoria para achar a tal “caixa-preta”, mas não encontrou indícios de irregularidades

 

A promessa de abrir o que seria uma “caixa-preta” no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a fim de revelar supostos esquemas dos governos petistas para escoar dinheiro público para países e organizações ligadas ao “Foro de São Paulo“, foi um dos motores da campanha de Jair Bolsonaro (sem partido) à Presidência. Em 2019, o banco estatal chegou a gastar R$ 48 milhões na auditoria dos contratos de empréstimos a empresas e governos estrangeiros, mas não encontrou indícios de irregularidades.

Nesta quinta-feira (17/6), em conversa com apoiadores no cercadinho montado no Palácio da Alvorada, Bolsonaro admitiu estar convencido de que não existe nenhuma caixa-preta na estatal.

“Não foi caixa-preta, na verdade. Está aberto. Eu também pensava que era caixa-preta, mas está disponível, no site do BNDES, todos os empréstimos feitos para outros países”, disse ele, sem deixar, porém, de criticar os adversários petistas.

“Alguns me criticam que eu estou concluindo obras do PT. É verdade, alguma obras são começadas pelo PT, sim. Agora, o PT não deixou obra inconclusa fora do Brasil. Vamos parabenizar o PT”, ironizou. “Foi quase meio trilhão de reais. Vocês [população] pagando”, completou o presidente. A fala foi registrada pelo site bolsonarista Foco do Brasil.