Cidadania Economia Saúde

Paulo Guedes quer dividir 148 agasalhos para os 222 mil mais pobres

Foto: Divulgação/Ministério da Economia

Pessoal, sinceramente, já não bastasse os vexames sucessivos como a ajuda humantária do Brasil à Venezuela, sim o Brasil fêz uma doaçao humanitaria ao nossos vizinhos bolivarianos em fevereiro de 2019: pouco mais de 15 fardos de arroz e meia dúzia de kits de primeiros socorros. Isso tudo para judar um país de  mais de 32 milhões de pessoas.

Agora,  o Brasil com uma população de rua estimada em 222 mil pessoas, em pleno inverno e com a temperatura na casa dos 6/7 graus, o ministério da Economia comandado por Paulo Guedes, sim aquele mesmo que quer distribuir restos de comida para os pobres, anunciou com estardalhaço a doaçao de , pasmem,  148 agasalhos para esses sem moradia. Isso porque são frutos de doaçoes.  Se no futuro isso for dito para nossos filhos, netos e bisnetos dirão que estamos mentindo. Ainda bem que existe a internet para provar o que dizemos ou dissermos. Leiam abaixo a matéria da Revista Forum:

 

Guedes, que queria dar restos de comida de ricos para pobres, anuncia doação de 148 agasalhos

“Grande” arrecadação do ministro da Economia com a primeira-dama gerou ironias e críticas nas redes sociais: “Agora sim o Brasil está aquecido!”

facebook sharing button
twitter sharing button
whatsapp sharing button

 

Os perfis oficiais nas redes sociais do Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes, anunciaram nesta segunda-feira (5) a arrecadação agasalhos para o frio que serão doados a pessoas em situação de vulnerabilidade. A quantidade arrecadada, no entanto, foi um fiasco: 148 itens.

O anúncio foi feito em postagem que mostra Guedes com a primeira-dama Michelle Bolsonaro junto às caixas com as doações.

Segundo o Ministério, “a ação fez parte do programa Pátria Voluntária, que organizou a campanha do agasalho com o objetivo de contemplar, por meio de instituições da sociedade civil cadastradas na Plataforma do Programa, as pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade”.

O baixo número de itens arrecadados gerou críticas e ironias nas redes sociais, com internautas lembrando que Guedes “não gosta de pobre”. Isso porque o ministro, recentemente, sugeriu dar restos de comida de ricos para “mendigos”, termo pejorativo usado para se referir a pessoas em situação de rua.

“AGORA SIM O BRASIL ESTA AQUECIDO! NINGUEM MAIS VAIR PASSAR FRIO, 148 ITENS… PRA QUE TUDO ISSO? QUANTA GENEROSIDADE”, ironizou o perfil satírico “Luiz PATRIOTA”.

Confira, abaixo, algumas reações.