Brasil Política Sociedade

Bolsonaro tira Nordeste do mapa do Brasil

AGÊNCIA BRASIL

Região recebe apenas 3% de nova leva do Bolsa Família. Resposta vem com trilha sonora de Belchior e Luiz Gonzaga

Para o governo Bolsonaro, da Bahia para cima não existe, “ninguém é gente, o Nordeste é uma ficção, Nordeste nunca houve”, como diz o cearense Belchior na letra de Conheço o meu lugar.

O presidente teria que agradecer ao padim Ciço, de joelhos, tamanha devoção e aposta em seu nome, mesmo que tenha dedicado apenas piadas e um festival de preconceitos contra os eleitores da terra do sol.

Do sertão ao litoral, o desprezo aos nordestinos é vergonhoso. A região recebeu apenas 3% de novos benefícios do Bolsa Família; o Sul e o Sudeste ficaram com 75%. É só uma breve amostra do tratamento. Na costa, se não fosse os mutirões, o mar de óleo estaria lá até hoje. A maior contribuição das autoridades do Palácio do Planalto foi fazer batalha naval ideológica com imaginários navios venezuelanos.

Não foi à toa, nada é de graça em política, que a Aliança pelo Brasil, novo partido do presidente, zerou em assinaturas de apoio nos estados de Pernambuco, Bahia, Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. E olhe que a campanha foi pesada e contou com estrutura dos cartórios. “No Ceará, não tem disso não, tem disso não”, fica aí o pernambucaníssimo Luiz Gonzaga na vitrola e até a próxima semana.

PUBLICIDADE