Brasil Política

A notícia do dia de hoje é o caso Marielle Franco

 

Por – Ataíde Santos.

 

Desde ontem (29/10) depois  que a (hiena) Globo, no seu Jornal Nacional, noticiou que o principal suspeito de matar a vereadora carioca, horas antes do crime, foi  ao condomínio onde mora o atual presidente da república e lá entrou ao pedir pra ir falar com o Jair Bolsonaro. Sua entrada foi autorizada, segundo o porteiro, pelo próprio Jair. Na mesma reportagem  o jornal  fala que  segundo a Câmara Federal, trinta, quarenta, minutos depois Jair teria marcado presença no legislativo em Brasília.

Minutos depois do jornal, lá do Oriente Médio, Jair Bolsonaro faz uma “live”. Nessa transmissão, Bolsonaro, demonstrando completo desequilíbrio e falando palavrões, o que, diga-se de passagem, não combina com a liturgia do cargo exercido pelo apresentador da “live”,  o presidente disse de acusações a ele e sua família, inclusive confirmando casos da mãe e da avó da primeira dama Michelle Bolsonaro,  que responderam ou respondem  por casos de “tráfico” na justiça do DF. Muito bem,  o presidente ameaçou a Globo de não renovação da concessão e a acusou de perseguição a ele e seus filhos, parentes,  amigos, auxiliares etc.etc, etc.

A pergunta que me faço hoje sob tamanha repercussão dos fatos é : O que mais repercutiu? A notícia no jornal, sem acusação direta, ou a resposta desproporcional, até meio confessional de quem tem algo errado no “ tocante a essa cuestão aí”?

Fato é que desde o final da semana passado,  nas redes sociais e na mídia se fala muito sobre o já conhecido destrambelhamento de Bolsonaro seus filhos, auxiliares e pessoas de seu entorno, e de seu desejo de auto golpe, culminado com o vídeo do “Leão e as hienas” que causou indignação a todos e que foi motivo de o decano do STF ministro Celso de Melo publicar uma nota de repúdio onde diz que o atrevimento de  Bolsonaro havia ultrapassado todos os limites. Do bom senso? Da razoabilidade? Moral?

Jair Bolsonaro não tem uma mínima capacidade de fazer política e de administrar o Brasil. Não tem postura de um presidente, não tem organização, a ponto de numa viagem ao exterior sequer levar um tradutor, ter sido pego no avião presidencial, o que era chamado “aero lula” e agora foi rebatizado “aero coca”, 39 quilos de drogas e por essa razão, um militar da comitiva presidencial ter ficado preso na Espanha, idolatrar tanto o presidente americano e ao final não conseguir ter o Brasil indicado a OCDE, querer nomear o filho tal como ele sem qualquer aptidão para o cargo, para Embaixador brasileiro no país atualmente, mais importante do planeta, esperar mais de meia hora para falar com o “amado” colega Trump e ao final receber um mero aperto de mão com duração menor que 15 segundos, entre outras.

Desagradando a gregos e troianos e destruindo o que nos resta como nação, o que falta para que este ilustre defensor de milícias, que já confessou não saber fazer nada, a não ser confusão,  e seu séquito sejam defenestrado do poder? E não vai adiantar deixar em seu lugar o Grande Inspetor-Geral da Ordem  maçonica, seria”trocar seis por meia duzia”, ou melhor, “sair de frigideira e cair no fogo”

Tem que se rever tudo o que se deu nos últimos  sete, dez  anos. Revisitar leis, processos, vendas, concessões, condenações, compras(?) doações, nomeações…

Em síntese: apagar tudo que foi feito entre 2014 e 2019 ou purgaremos num inferno por pelo menos menos mais dois séculos com ou sem a intervenção do São Lula.

PUBLICIDADE