Cidade Justiça

Adolescentes do DF obrigadas a se prostituir são resgatadas no MT

Parceria entre polícias das duas UFs permitiu localizar jovens, de 15 e 17 anos, que eram mantidas em cárcere privado na cidade de Querência

 

Uma parceria entre as polícias civil do Distrito Federal e do Mato Grosso resultou no resgate de duas adolescentes moradoras da capital, de 15 e 17 anos, que foram aliciadas e obrigadas a se prostituir na cidade de Querência (MT). Elas ficaram mantidas em cárcere privado por uma semana e voltaram para casa depois que a Delegacia de Repressão a Sequestros do DF foi acionada.

“Ela foi convencida por uma amiga a ir para a cidade do outro estado com o objetivo de se prostituir. Depois de chegar ao local, a jovem se arrependeu e entrou em contato com a mãe, pedindo para voltar para Brasília”, afirmou um agente que participou da ação de resgate.

Nesse meio tempo, a mãe deveria buscar informações que ajudassem os policiais a identificar as duas criminosas. A adolescente informou à mãe que não sabia o nome das mulheres, mas que as duas estariam envolvidas em facções criminosas e uma delas andava com tornozeleira eletrônica.

Sob orientação dos policiais, a mãe conseguiu que a adolescente enviasse a localização por WhatsApp. O local onde funcionava a casa de prostituição foi informado à delegacia de Querência. Os agentes do município fizeram uma primeira diligência, mas não encontraram ninguém no local. No dia seguinte, os policiais ficaram de campana em frente à casa.

Eles constataram que a menina de 15 e a amiga estavam em cárcere privado. As duas eram obrigadas pelas administradores do local a se prostituir. As responsáveis pela casa de prostituição foram presas.

Segundo o delegado Rogério Gomes, da Polícia Civil do Mato Grosso, há indícios de participação de outras pessoas nos crimes, por isso as investigações continuam.