Cidade Política

Após áudio, relator da MP da PCDF diz que levará Bessa à Justiça

Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

Ex-diretor da Polícia Civil e deputado federal gravou mensagem culpando Luis Miranda (DEM-DF) por veto de plano de saúde de policiais

Relator do projeto que reestruturou a Polícia Civil (PCDF), o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) afirmou nesta sexta-feira (4/6) que ingressará com representação contra o deputado federal Laerte Bessa (PL-DF). Delegado aposentado, o parlamentar divulgou um áudio responsabilizando o colega de bancada pela decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de vetar a parte do texto aprovado no Congresso Nacional que garantiria o plano de saúde aos policiais civis do DF. O caso foi revelado pelo Metrópoles.

Na gravação, Laerte Bessa, que assumiu a cadeira com o licenciamento da ministra Flávia Arruda (PL), criticou a decisão de Bolsonaro, defendeu “um golpe” para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso Nacional e xingou o relator da matéria na Câmara, deputado Luis Miranda (DEM-DF), de “estelionatário contumaz”. O conteúdo foi gravado em um áudio disparado para policiais civis.

À reportagem, Luis Miranda negou a acusação e disse que processará o colega de bancada “na Justiça cível e criminal”. Além disso, o relator do texto informou que vai levar os xingamentos disparados por Laerte Bessa ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados.

“Não adianta, porque você tem acesso a ele, policial civil, achar que ele é seu amigo. Ele não é seu amigo, ele é o maior inimigo da polícia civil hoje. Ontem, e foi sempre. Nós precisamos agora nos unir pacificamente pra conseguir manter o acordo, que já existe. Agora é só a gente ter o respeito necessário para que esse acordo não se torne uma animosidade e percamos aquilo que já foi construído. Quanto a esse senhor, irei levar ao Conselho de Ética, claro. Vou denunciá-lo criminalmente pelas mentiras que ele vem cometendo”, continuou.

“Acho um absurdo um deputado fazer isso, chamar o presidente de covarde, falar que foi eleito pra dar um golpe no STF e imputar a outro colega um crime que não existe. Eu, por sua vez, diferentemente dele, não agrido porteiros, não respondo a crimes absurdos como o que ele respondeu. Inclusive, crimes esses que vão contra a população. Pensem bem quem é esse senhor”, rebateu em vídeo.

Procurado pela coluna, Laerte Bessa confirmou a autoria do áudio e disse que não se manifestaria sobre a gravação: “Deixa o pau quebrar”, disse.

 

Veja a resposta:

Ouça agora o áudio de Laerte Bessa: