Mídia

Atividades da TV Record em Angola são suspensas pelo governo: “inconformidades”

Foto: Reprodução

A medida passa a valer a partir da meia-noite de quarta-feira (21), de acordo com o secretário de Estado para a Comunicação Social, Nuno Carnaval

Por Julinho Bittencourt

As atividades da TV Record foram suspensas pelo governo em Angola, segundo informou a agência de notícias alemã Deutsche Welle. A medida passa a valer a partir da meia-noite de quarta-feira (21), de acordo com o secretário de Estado para a Comunicação Social, Nuno Carnaval. Seu discurso foi transmitido pela TPA, a televisão pública angolana.

O Ministério das Telecomunicações, Tecnologia de Informação e Comunicação Social (MINTTICS) afirma através de seu comunicado que a medida surge na sequência da constatação de “inconformidades” em relação aos requisitos legais para o exercício da atividade jornalística em Angola. O ministério alega por exemplo “que a empresa Rede Record de Televisão (Angola), Limitada, que responde pela TV Record África, tem como diretor-executivo um cidadão não nacional”.

Pelo menos outros dois canais além da Record também tiveram as atividades suspensas: Zap Viva e Vida TV.

“Infelizmente, as direções destas empresas não cuidaram de corrigir ao longo do tempo que vêm operando no mercado angolano. Por outro lado, estas empresas enquanto não procederem a correção em conformidade com os requisitos legais, estarão suspensas do exercício da sua atividade”, diz ainda a nota de Nuno Carnaval.

A “Record TV África” informou, por meio de nota, que foi “surpreendida” pela decisão de “inconformidades legais”. A emissora, que atua em Angola desde 2005, disse que sempre atuou em “legalidade” e que irá buscar esclarecimentos junto aos órgãos competentes, e adotar as medidas legais cabíveis.

“Reiteramos nosso compromisso com nossos colaboradores, de que estamos completamente comprometidos com os mesmos e com a operação construída em mais de uma década de esforço e sacrifícios realizados”, finaliza a nota.

Com informações do UOL