Pandemia Saúde

Boletim extraordinário da Fiocruz aponta que coronavírus permanece em circulação intensa no Brasil

Foto: Fiocruz

O quadro pode representar a desaceleração da pandemia, com a formação de um novo patamar, como o ocorrido em meados de 2020, porém com números muito mais elevados de casos graves e óbitos

Por Julinho Bittencourt

De acordo com Boletim Extraordinário do Observatório Covid-19 Fiocruz, divulgado nesta quarta-feira (14), a pandemia deve permanecer em níveis preocupantes ao longo do mês de abril.

A tendência de alta de transmissão da Covid-19 se manteve no país na semana de 4 a 10 de abril, com valores recordes no número de óbitos (uma média de 3.020 mortos por dia) e aumento de novos casos (cerca de 70.200 casos diários).

A análise, conforme relato da repórter Regina Castro, da Agência Fiocruz de Notícias, aponta também que a sobrecarga dos hospitais continuou em níveis críticos.

A alta proporção de testes com resultados positivos revela que, durante esse período, o vírus permanece em circulação intensa em todo o país.

Pesquisadores do Observatório, no entanto, apontam que o quadro epidemiológico observado pode representar a desaceleração da pandemia, com a formação de um novo patamar, como o ocorrido em meados de 2020, porém com números muito mais elevados de casos graves e óbitos.

Outro indicador estratégico, a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS), se manteve predominantemente estável e muito elevada.

Destacam-se a saída do Maranhão (78%) da zona de alerta crítico para a zona de alerta intermediário e quedas significativas do indicador no Pará (87% para 82%), Amapá (de 91% para 84%), Tocantins (de 95% para 90%), Paraíba (de 77% para 70%) e São Paulo (de 91% para 86%).