JUSTIÇA Política

Bolsonaro coloca Celso de Mello e Alexandre de Moraes no alvo de sua estratégia de ódio

(Foto: Agência Brasil)

Os ministros do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello e Alexandre de Moraes são vistos pelo ocupante do Palácio do Planalto como inimigos do bolsonarismo. Jair Bolsonaro colocou os dois membros da Suprema Corte no alvo da sua estratégia de ódio porque eles conduzem inquéritos-chave, que podem resultar em sua queda

 Jair Bolsonaro considera que o decano do STF Celso de Mello e o ministro Alexandre de Moraes conduzem com motivação política investigações que podem chegar a resultados fatais para o governo. Por isso, colocou ambos no alvo de seus ataques. Neste domingo (24), Bolsonaro compartilhou um artigo da lei de abuso de autoridade, em indireta a Mello.

O Painel da Folha de S.Paulo ressalta da edição desta segunda-feira (25) que os inquéritos mais relevantes que podem causar estragos a Bolsonaro estão nas mãos deles: com Moraes, o das fake news, que tem bolsonaristas como alvos, e com Mello, o da tentativa de interferência de Bolsonaro na Polícia Federal.

A coluna relembra que Bolsonaro atacou Moraes ao menos duas vezes recentemente: disse que ele toma decisões políticas e que só chegou ao STF por amizade com Michel Temer (MDB). Ele também acha que a proximidade que Moraes teve com o PSDB perdura e influencia suas decisões.

Simultaneamente, Bolsonaro aposta em uma articulação política com o presidente do STF, Dias Toffoli, para minimizar os danos das suas ações contra o Poder Judiciário.