Brasil Política Saúde

Câmara e Senado anunciam restrição à circulação de pessoas devido ao coronavírus

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, durante debate sobre coronavírus com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (dir.) — Foto: Vinícius Loures/Câmara dos Deputados

Por Elisa Clavery e Sara Resende, TV Globo — Brasília

 

Maia falou sobre o assunto durante um debate na Câmara com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para discutir ações de prevenção e controle do vírus.

“Acho que prevenção é muito importante. Aqui circulam muitas pessoas de todas as regiões. É importante que a Câmara possa restringir acesso, reduzir o número de audiências e restringir presença dos plenários a poucos assessores, quase que exclusivamente aos próprios parlamentares”, afirmou Maia.

Segundo o presidente da Câmara, será divulgada uma portaria com as regras para a circulação nas dependências da Casa.

Após o anúncio de Maia, a assessoria do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que também preside o Congresso, informou que ele assinará um ato com medidas de prevenção ao coronavírus.

Entre as medidas, estão restrição de visitação pública, suspensão de sessões especiais na Câmara e no Senado e das viagens de parlamentares e servidores em missões oficiais no exterior.

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta: ‘Na prática, anúncio de pandemia não muda nada’

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta: ‘Na prática, anúncio de pandemia não muda nada’

Ao abrir a sessão de debate com Mandetta, Maia também afirmou que tem conversado com líderes partidários e deputados da área da saúde e que os parlamentares estão à disposição para discutir leis e alterações no orçamento para tratar do assunto.

“Sabemos que haverá necessidade de utilização de recursos que não estavam previstos no final do ano passado, quando não tínhamos a informação que temos hoje”, disse, em referência ao anúncio da Organização Mundial de Saúde (OMS), que classificou como “pandemia” a disseminação do coronavírus no mundo.

Antes do debate na Câmara, Mandetta afirmou que a OMS dá a “devida medida técnica” ao considerar a doença como pandemia. O ministro também reforçou que, até agora, o Brasil não apresenta a chamada transmissão sustentada – ou seja, casos de transmissão do vírus entre a população.

OMS declara pandemia de novo coronavírus

OMS declara pandemia de novo coronavírus

PUBLICIDADE