Cidadania

Com o fim do Bolsa Família pelo menos 22 milhões de pessoas ficarão sem ajuda do governo

(Foto: Leonardo Lucena)

O fim do auxílio deixa dois tipos de órfãos: quem não está inscrito no CadÚnico por não se encaixar nos requisitos do Bolsa Família e quem teria direito a receber renda mínima, mas está na “fila” do cadastro ou nem conseguiu pedir o cadastramento

O fim do auxílio deixa dois tipos de órfãos: quem não está inscrito no CadÚnico por não se encaixar nos requisitos do Bolsa Família e quem teria direito a receber renda mínima, mas está na “fila” do cadastro ou nem conseguiu pedir o cadastramento.

O governo limitou o acesso do Auxílio Brasil aos inscritos no CadÚnico, que já tinha uma fila de 1,2 milhão de pessoas. A União manteve por mais 120 dias a partir de outubro a suspensão de adição de novos cadastrados. Fora do banco de dados federal, milhares de brasileiros podem não ser contemplados pelo Auxílio Brasil.

Reportagem do Globo publicada nesta segunda-feira (1º/11) mostra o drama de algumas dessas famílias.

O Ministério da Cidadania deu informações vagas sobre a resposta do governo à crise social. Disse apenas que o programa Auxílio Brasil vai entrar em vigor em novembro.