Cidadania

Começa na sexta (18) a 5ª Conferência dos Direitos da Pessoa Idosa

Na pauta, destacam-se temas como o acesso à saúde, assistência social e previdência, educação, moradia, transporte, cultura e lazer

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: RENATA LU

Na próxima sexta-feira (18) será realizada a 5ª Conferência Distrital dos Direitos da Pessoa Idosa (5ªCDDPI). Com o tema “Os Desafios de Envelhecer no Século XXI e o Papel das Políticas Públicas”, o evento ocorrerá de forma virtual, em decorrência da pandemia da covid-19.

A conferência é organizada pelo Conselho dos Direitos dos Idosos do Distrito Federal (CDI/DF), órgão vinculado à Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus).

“É uma oportunidade que temos de reunir governo e sociedade civil para dialogarem juntos a melhoria das ações voltadas às pessoas idosas. Queremos encontrar novas formas para que elas sejam

protagonistas de suas próprias vidas”, explica a titular da Sejus, Marcela Passamani.

“É uma oportunidade que temos de reunir governo e sociedade civil para dialogarem juntos a melhoria das ações voltadas às pessoas idosas. Queremos encontrar novas formas para que elas sejam  protagonistas de suas próprias vidas”   Marcela Passamani, secretária de Justiça e Cidadania

Os participantes vão debater o acesso dessa população à saúde, assistência social e previdência, educação, moradia, transporte, cultura, esporte e lazer, além do enfrentamento às violações de direitos humanos e as formas de controle social na geração e implementação das políticas públicas.

Também está em pauta o enfrentamento das dificuldades vivenciadas no atendimento à pessoa idosa em entidades governamentais e não governamentais e a busca de estratégias conjuntas para a garantia dos seus direitos e efetivação de políticas públicas para esse segmento.

Idosos no DF

Mais de 300 mil idosos vivem no Distrito Federal, número que tem crescido a cada ano acompanhando a tendência demográfica mundial e nacional. Segundo projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população idosa do DF pode chegar a 565 mil, em 2030. Este cenário reforça a necessidade de se pensar, cada vez mais, políticas voltadas para essa população, em especial nas áreas de previdência, saúde, proteção social e de integridade.

As regiões administrativas que concentram o maior número de idosos são Ceilândia, Plano Piloto e Taguatinga. Esses dados fazem parte do estudo Retratos sociais 2018 – A população idosa no Distrito Federal, elaborado pela Companhia de Planejamento do DF (Codeplan).

Canais de denúncia

A violação de direitos contra a pessoa idosa pode ser denunciada pelo Disque 100, que é o principal canal de comunicação. Além disso, a denúncia também pode ser feita pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil. Também está previsto para ser formalizado o aplicativo Proteja-se, desenvolvido pela Sejus e considerado o principal convênio já assinado entre o MDH e o Governo do Distrito Federal (GDF).

*Com informações da Sejus