Economia Política

De Chambinho e Nutella a arroz quebradinho, ossos e feijão bandinha

Pacífico não quer dizer passivo. Ser pacífico é agir com serenidade. Ser passivo é não agir…(Vitor Durão)

 

Cantado em verso e prosa como terra de povo   ordeiro e pacífico, o Brasil deixa cada vez claro a si e ao mundo que somos de fato passivos.

O mundo nos olha boquiaberto se perguntando como conseguimos regredir no tempo e à miséria e chegamos ao ponto onde estamos.

O brasileiro que há pouco mais de seis anos ostentava na fila dos supermercados seus carrinhos cheios, hoje briga em fila de açougues por ossos comumente usados para fabricação de rações e adubos, como mostrado no programa Fantástico exibido na noite do domingo (25/07).

Mas nem tudo está perdido, o general/ministro Walter Braga Neto que afirmou que sem voto impresso não haverá eleições em 2022, recebeu de soldo em junho de 2021 a cifra de R$ 100,7 mil líquidos.

O desemprego no Brasil já bate a casa dos 14,8 milhões de pais e mães de família que perderam suas rendas e não sabem como alimentar a si sua família.  Mas tudo bem, o que importa é que tiramos a Dilma.

Famílias estão sendo despejadas de suas casas e sem condições de pagar o aluguel estão indo morar nas ruas. – Que fazer né? É a vida, se não pode pagar não mora, mas quem pode… Veja o senador  Flavio Bolsonaro, ralou, ralou e comprou sua casinha.

Não existe dinheiro para o auxílio emergencial, -Não dá pra sustentar vagabundo que não trabalha e quer viver na mamata. Tem que trabalhar e fazer jus a alguns dias de descanso. Por exemplo: Depois de longos meses de exaustivo trabalho Jair Bolsonaro tirou apenas 17 dias de férias e isso só custou R$ 2,4 milhões ao erário.

Onde está a coragem, o brio do povo que treme ao ouvir a batida na mesa do general Heleno? Porque não reagem os poderes às constantes ameaças? Será suficiente ir às ruas aos fins de semana com faixas e cartazes bradando fora Bolsonaro?

Um grupo se preparava para as manifestações de sábado (24/07) quando o prefeito da cidade de Alfenas-MG  interrompeu o discurso da manifestante e tentou rasgar os cartazes, a mulher desceu de onde estava e enfrentou o prefeito que não conseguiu rasgar os papéis. Falava alto para se fazer ouvir pelo administrador do município  dizendo que iria chamar a polícia. Mas podemos ouvir que quem gravava o fato ou alguém que lhe estivesse junto dizer: Não grita com ele Mariana, não grita com ele.

Mas esqueçamos as ameaças, as afrontas, o descaso, a indiferença. Vamos deixar de mimimi, de frescura. Danoninho, Nutella é coisa para “calças apertadas” ou “saltitantes”. O que é que tem comer (se tiver) arroz quebradinho com bandinha e  um caldo de ossos enquanto vemos a vitória  arrasadora do Flamengo sobre o São Paulo?

– O quê? Política? Não, eu não discuto, isso é coisa pra político, eu sou apenas um… Subcidadão.