Cidade CLDF

Deputado distrital gasta em um mês gasolina suficiente para ir do DF até a Colômbia

Por Gabriel Luiz e Vinícius Cassela, TV Globo

Deputado gasta verba indenizatória com combustível suficiente para ir até a Colômbia
DF1
Deputado gasta verba indenizatória com combustível suficiente para ir até a Colômbia

Deputado gasta verba indenizatória com combustível suficiente para ir até a Colômbia

O deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) foi o recordista com gasto de verba indenizatória no mês de junho, na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). Em 30 dias, ele usou combustível suficiente para ir de Brasília até a Colômbia.

O balanço do uso da verba pelos parlamentares foi publicado no Diário da Câmara Legislativa do Distrito Federal desta sexta-feira (9). Procurado, Jorge Vianna disse que a despesa é compatível com as atividades (veja mais abaixo).

Dos R$ 15 mil da verba indenizatória do mês, o político usou R$ 2.443 para pagar combustível. No total, abasteceu o carro 14 vezes e pagou por 561 litros de gasolina.

O carro alugado por ele – por R$ 3,8 mil por mês, também com dinheiro da verba indenizatória – tem autonomia para rodar 11 km por litro de combustível. Assim, com 561 litros de gasolina é possível rodar até 6,4 mil km.

A distância é equivalente a ir de carro de Brasília até Bogotá, na Colômbia. É igual também a fazer 120 idas e voltas entre a Câmara Legislativa e a região de Samambaia, onde o deputado mora e tem sua base eleitoral.

De acordo com o Detran, a malha rodoviária urbana do DF é de 6 mil km. Isso significaria dizer que o deputado passou por cada uma das ruas de Brasília ao longo do mês.

Deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) discursa na Câmara Legislativa do DF — Foto: CLDF / Divulgação

Deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) discursa na Câmara Legislativa do DF — Foto: CLDF / Divulgação

Verba indenizatória

Cada deputado distrital tem direito a R$ 15.193,35 por mês como verba indenizatória. O dinheiro serve para aluguel de carro, gasto com combustível e pagamento de consultorias, por exemplo. No caso, o deputado faz o pagamento e é ressarcido depois de apresentar a nota fiscal.

O que diz o deputado?

“A assessoria de comunicação do deputado informa que o critério utilizado pelo deputado para a escolha do carro acima mencionado foi porque este é considerado um veículo intermediário, além de ser econômico, uma vez que o valor mensal do aluguel corresponde a R$ 3.800, já incluso custos como IPVA, seguro e manutenção.

Com relação ao gasto com gasolina, a assessoria explica que o deputado não faz apenas o percurso casa/trabalho/casa, de Samambaia à Brasília, mas como representante da saúde e, presidente da Comissão de Educação, Saúde de Cultura (CESC) na Câmara Legislativa, além de visitar constantemente, unidades de saúde de todas as regiões administrativas do DF, também cumpre uma série de agendas em todo o DF.

Cabe esclarecer ainda que um segundo veículo, também é utilizado para deslocamento de equipe para cobertura e execução de atividades externas.

Dessa forma, o deputado avalia o valor gasto dentro das regras e que tal gasto é proporcional à dinâmica de trabalho. O parlamentar lembra que, recentemente, foi personagem de matéria, por ser avaliado como um dos deputados mais ativos da CLDF, em relação a atuação na CLDF, a exemplo de realização de audiências públicas, internas e externas e desenvolvimento de atividades junto a comunidade.

Por fim, o deputado faz questão de deixar claro, em todos os lugares que frequenta, que o veículo utilizado é alugado, por meio da verba indenizatória e reafirma o respeito ao uso consciente e responsável dos recursos públicos, por se tratar de dinheiro do cidadão contribuinte.”

PUBLICIDADE