Cidade Pandemia

DF bate novo recorde de mortes diárias por covid-19; total é de 5,6 mil

(crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

Nesta sexta-feira (26/3), a média móvel de mortes ficou em 50,4, alta de 136% em relação aos últimos 14 dias. Segundo a Secretaria de Saúde, com mais 64 óbitos, o Distrito Federal chegou a 5,6 mil mortes pela doença nesta pandemia

AI
Ana Isabel Mansur
PM
Pedro Marra

O Distrito Federal bateu, nesta sexta-feira (26/3),mais um recorde no registro de mortes diárias por covid-19. Após a Secretaria de Saúde (SES) registrar mais 64 vidas perdidas pela doença, o DF chegou ao total de 5,6 mil óbitos. Na quinta-feira, foram 57 óbitos, e, na quarta, a pasta registrou 50 vidas perdidas em 24 horas.

Ainda nesta sexta, houve a maior média móvel de mortes nesta pandemia no DF: taxa de 50,4. O número representa um aumento de 136,6% em comparação aos últimos 14 dias. Dos novos óbitos divulgados, 60 eram do DF e quatro pessoas vieram de Goiás. Segundo a SES-DF, os óbitos ocorreram entre 7 de janeiro e a data de hoje. Somente na quinta-feira (25/3), a pasta notificou 32 vidas perdidas pela doença.

Ceilândia segue como a região administrativa (RA) com maior número de mortes: 924 moradores. Taguatinga está com 575 óbitos nesta pandemia, enquanto o Plano Piloto calcula 402 vidas perdidas pela doença.

Em relação aos casos diários, a média móvel ficou em 1.601, aumento de 3,5% nas últimas duas semanas. Com os mais de 2,1 mil casos novos, o total está em 337 mil diagnósticos positivos da covid-19. Além disso, esse foi o quarto dia do ano com mais de 2 mil casos confirmados, todos no mês de março.

O primeiro dia com essa marca ocorreu em 1º de março, quando a Saúde registrou 2.142 casos. No último dia 8, foi divulgado o maior número de novos casos do ano: 2.288 em 24 horas. Em 15 de março, foram 2.056 novos infectados.

Ceilândia ainda está no topo desse ranking, com mais de 36 mil casos confirmados, seguida do Plano Piloto, que calcula 32 mil infectados pela doença. Em Taguatinga, 27 mil pessoas foram contaminadas pela covid-19. Com oscilações abaixo de 2.0 de abril a julho de 2021, o DF está com uma taxa de transmissão em 0,91. Ou seja, 100 pessoas transmitem a covid-19 para cada 91.

Fonte – Correio Brasiliense