Brasil Política

Dirceu diz que militares podem sair desmoralizados do governo Bolsonaro

José Dirceu e Bolsonaro com militares (Foto: Lula Marques | PR)

“A incompetência e fanfarronice de Bolsonaro e seus ministros militares diante da pandemia poderão ser o equivalente ao que foi a Guerra das Malvinas para as Forças Armadas da Argentina, o início de um descrédito duradouro”, escreveu o ex-ministro José Dirceu

 O ex-ministro José Dirceu, em artigo publicado no portal A Terra é Redonda, avaliou que  “um equilíbrio instável se instala no país num momento de extrema gravidade, de emergência nacional. O Brasil se encontra em uma situação de risco extremo decorrente da flexibilização do isolamento social necessário para conter a pandemia do coronavírus ou mesmo do esgarçamento total das medidas preventivas. Tudo isso provocado pela ação criminosa do presidente da República e de seu governo que atuam de forma lenta, segura e gradual para liberar todas as atividades econômicas. Para tanto evitam aplicar as medidas necessárias à sobrevivência do comércio, das empresas de serviços e de indústrias de pequeno e médio porte”.

“Sob o risco de provocar uma tragédia, assistimos à convocação de manifestantes pelo presidente da República – suas milícias armadas – para invadir hospitais e verificar se existem leitos de UTI disponíveis para a população, quando é público e notório que a maioria dos hospitais já está operando no limite de sua capacidade. Com essa atitude, a tropa de choque bolsonarista coloca em risco a segurança dos médicos, enfermeiros e funcionários e dos próprios pacientes”, acrescentou ele.

Ele também destacou em seu texto que “não é hora de tibieza e de meios termos em relação às violações da Constituição, nem de vacilações quanto ao papel das Forças Armadas – que serão responsabilizadas pela história, mais uma vez, pela tragédia humanitária que já ceifou mais de 40 mil vidas e vai matar muito mais se não se impedir os golpes diários que minam a prática de isolamento social”.

PUBLICIDADE