Colunas Cultura Política Sociedade

Efeito Bolsonaro: Casamentos homoafetivos crescem 61,7% em 2018

CASAL LGBT. (FOTO: PAULO PINTO/FOTOSPUBLICAS)

Os casamentos no período após a eleição de Bolsonaro saltaram; casais temiam perda de direitos

Os casamentos entre pessoas do mesmo sexo disparou no ano de 2018, informa o IBGE a partir das Estatísticas de Registro Civil 2018, divulgadas nesta quarta-feira 04. No cenário de queda de 0,9% de todos os casamentos, cerca de 9520 casais LGBT+ se uniram ano ano passado, frente a 5887 em 2017.O IBGE mostra que as cerimônias aumentaram expressivamente em dezembro, mês que reuniu 29,6% das uniões registradas e que já tinha, como presidente-eleito, Jair Bolsonaro. A discrepância é grande quando comparada aos casais heterossexuais: nesse meio tempo, 11,3% do total dos casamentos aconteceram no fim do ano.

A eleição de Bolsonaro impulsionou o número de casamento por medos de retrocessos e possíveis mudanças de interpretações na lei. É o que conta o psicólogo João Burnier, que, em junho, concedeu uma entrevista à CartaCapital falando sobre a decisão de adiantar a união com esposo Henrique Resende.

“O plano era casar no segundo semestre deste ano, mas ficamos com receio de algum retrocesso. A permissão que temos para isso é um ‘adendozinho’ na lei. Ficamos com medo de o governo dar algum passo para trás e não reconhecer a nossa união”, conta.

Os casais homoafetivos só tiveram direito à união estável em 2011, quando o Supremo Tribunal Federal mudou uma regra do Código Civil e entendeu que uma família não era formada apenas a partir da união de um homem com uma mulher. Dois anos depois, uma portaria do Conselho Nacional de Justiça autorizou os cartórios a celebrar casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

Em 2018, são as mulheres que encabeçam a lista: enquanto os casamentos entre casais compostos por homens cresceram 58,3%, entre elas o aumento foi de 64,2%. Regionalmente, o aumento dos casamentos aconteceu para casais de todo o Brasil. Enquanto o Sudeste sediou 5689 casamentos, mais da metade do total, foi no Nordeste que houve o maior aumento percentual em relação ao ano de 2017: 85,2% novos casórios LGBT+, dizem os dados.

Casamentos caem e divórcios sobem

No cenário geral, o Brasil registrou 1.053.467 casamentos civis – uma queda de 1,6% em comparação a 2017. Segundo o IBGE, o número de divórcios seguiu o fluxo contrário e aumentou 3,2% de um ano para o outro. A proporção, por conta disso, é de três casamentos para uma separação.

Os casais de 2018 ficaram juntos por  aproximadamente 14 anos até optarem pelo divórcio, mostra o IBGE. Em 2017, a união era mantida por, em média, 17 anos. Nas uniões com filhos, em todas as grandes regiões do país, predomina entre as mulheres a responsabilidade pela guarda dos filhos menores.

“Em 2018, no Brasil, esse percentual atingiu 65,4%, sendo, contudo, inferior ao obtido em 2017, quando era de 69,4%, e ao registrado em 2016, quando era de 74,4%”, detalhou Klívia Oliveira, gerente da pesquisa.

PUBLICIDADE

Posts