Economia Política

Em nota, Guedes minimiza fim da Ford no Brasil e fala “forte recuperação” da economia

Paulo Guedes, Foto: Edu Andrade/Ascom/ME

O Ministério da Economia, cobrado pela saída da montadora do Brasil, lamentou a decisão e disse que “trabalha intensamente”

Por Lucas Rocha

O Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes, divulgou uma nota nesta segunda-feira (11) sobre a saída da Ford e dando seu parecer sobre a situação do Brasil. A pasta minimiza a decisão e afirma que o Brasil vive uma suposta “forte recuperação”.

“O Ministério da Economia lamenta a decisão global e estratégica da Ford de encerrar a produção no Brasil. A decisão da montadora destoa da forte recuperação observada na maioria dos setores da indústria no país, muitos já registrando resultados superiores ao período pré-crise”, diz trecho do texto.

Ao anunciar a decisão, a montadora afirmou que “a continuidade do ambiente econômico desfavorável e a pressão adicional causada pela pandemia deixaram claro que era necessário muito mais para criar um futuro sustentável e lucrativo”.

A empresa fechou as três fábricas no Brasil, mas irá manter as da Argentina e do Uruguai.

O ministério de Guedes trata a decisão como algo corriqueiro e ainda afirma que “trabalha intensamente na redução do Custo Brasil com iniciativas que já promoveram avanços importantes. Isto reforça a necessidade de rápida implementação das medidas de melhoria do ambiente de negócios e de avançar nas reformas estruturais”.

Cerca de 4 mil trabalhadores serão diretamente impactados com essa decisão.

O governo foi alvo de inúmeras críticas por conta da saída da Ford, um sintoma de desindustrialização. “[O fechamento da Ford] é o resultado da estupidez intelectual de [Paulo] Guedes e sua equipe, estagnados no ultrapassado receituário neoliberal da década de 70. Num cenário de depressão econômica, em vez de políticas anticíclicas, eles apostaram em mais arrocho e nenhum investimento”, criticou o deputado federal Jorge Solla (PT-BA).

Segundo Solla, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), está “buscando alternativas junto a montadoras chinesas” para tentar reverter o quadro que, segundo ele, “sangra a Bahia”. A principal fábrica da Ford no país fica em Camaçari (BA).

“São mais de 10 mil empregos diretos, a Ford representa 2% do PIB da Bahia, 1,7% da massa salarial do Estado e 10% da arrecadação de ICMS”, afirmou Solla.