Economia Política

Entidade do agronegócio brasileiro diz que governo tem que respeitar a China

Brasil e China; bandeiras (Foto: Divulgação)

“Falar do futuro é falar da China, que deve ser tratada com respeito”, diz presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), uma das mais importantes entidades do agronegócio do Brasil

247 – A pecuarista e socióloga Teresa Vendramini, presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB) fala em entrevista à Folha de S.Paulo das perspectivas do agronegócio brasileiro para este ano.

A dirigente atribui muita importância às exportações, especificamente às relações comerciais com a China. “Falar de futuro é falar da China, da demanda da China. Ela ainda está em recuperação, mas vai continuar a importar mais carne bovina, isso deve se manter em 2021. O que acredito muito é que o Brasil deveria estreitar cada vez mais as relações com a China, óbvio, como nosso grande parceiro comercial. São responsáveis por 40% do que exportamos do nosso agro. Deveria ter carinho, cuidado com essas relações, estar sempre junto.

Questionada pela Folha de S.Paulo sobre a declaração do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) de que a China quer usar sua liderança na tecnologia 5G para espionar países e tolher liberdades, Vendramini disse que é necessário “se comportar com nossos parceiros de uma maneira comercial e com muito respeito por eles. Acredito, espero, que essas colocações sejam pessoais, espero e sempre levo em consideração que são opiniões pessoais. Agora, o agronegócio está preocupado em cada vez exportar mais, ter mais emprego, ter essa capilaridade. Precisamos falar em Brasil, em empregos. Sou uma pessoa que senta na mesa e quer conversar. A vida é muito maior que uma opinião pessoal”.

Publicidade