CPI da Pandemia Política

Fabiano Contarato pede prisão para Dominghetti: “nunca fez contrato algum”

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Pedido foi após a divulgação de áudio atribuído ao deputado Luis Miranda pelo depoente, que se apresenta como representante da empresa Davati Medical Supply

O senador Fabiano Contarato (REDE-ES), que também é delegado da Polícia Civil, interrompeu o depoimento de Luiz Paulo Dominguetti Pereira na CPI do Genocídio, nesta quinta-feira (1º), para pedir a prisão do depoente. De acordo com Contarato, a testemunha foi plantada na CPI.

“Senhor presidente, com todo o respeito, essa testemunha foi plantada aqui. Ela está em estado flagrancial do artigo 342. Tem que dar voz de prisão a este depoente. Ouça o áudio, ele fala em Walmart, em pequenos contratos, esse senhor nunca fez contrato algum com o ministério da Saúde”.

Após a divulgação de um áudio atribuído ao deputado Luis Miranda (DEM-DF) pelo depoente, que se apresenta como representante da empresa Davati Medical Supply, o presidente da CPI do Genocídio, Omar Aziz (PSD-AM) também levantou suspeitas sobre as “intenções” do cabo da PM de Minas Gerais, que estaria infiltrado por governistas.

“Lá na minha região, chapéu de otário é marreta e jabuti não sobe em árvore. O senhor está sob juramento. Não venha achar que aqui todo mundo é otário. Nem patetas. Veja bem qual é seu papel aqui. Do nada surge um áudio do deputado Luis Miranda. Tá certo? Chapéu de otário é marreta, irmão”, disse Aziz.