Abusos Polícia Racismo

Fui parado e tratado como bandido, diz Kayque do Botafogo

Na última quarta-feira (11/08),  Kayque, jogador do Botafogo, foi as redes sociais para denunciar ter sofrido um episódio de racismo em uma abordagem policial, no Rio de Janeiro. Em vídeo no Instagram, o atleta relata que policiais com perguntas tendenciosas a ele e a um amigo, insinuaram que ambos poderiam ser criminosos e/ou usuários de drogas.

“Você não pode ser preto e estar em um carro maneiro, você não pode ser preto e estar em um lugar maneiro, não pode ser preto e estar com uma meta (dinheiro) no bolso, entre outras coisas”, disse Kayque. ” Fui parado e tratado como bandido. O amigo que tá aqui comigo foi tratado como bandido também por morar na favela. Eles pensam o que? A gente é trabalhador, acorda cedo, vai atrás, não cai nada céu não.”

O Botafogo, logo após a publicação do vídeo,  também usou suas redes sociais para protestar contra o episódio e declarar seu apoio ao atleta.

“O Botafogo repudia o episódio de racismo envolvendo o nosso atleta Kayque e manifesta apoio ao jogador. Situações como esta são inaceitáveis. Continue com sua força e determinação na caminhada, Cria!”, escreveu o clube.

Kayque de apenas 20 anos está entre os profissionais do Botafogo desde 2020. O jogador  não constava na relação dos atletas que participaram da partida contra o Operário, no Paraná, nesta quinta-feira pela Série B do Campeonato Brasileiro onde  o time paranaense venceu o carioca por 1 x 0 com gol de Paulo Sérgio logo aos sete minutos do primeiro tempo.