Cidade GDF Sociedade

Gestores de Cras e Creas são capacitados sobre atendimento socioassistencial durante pandemia

A subsecretária Kariny Alves Veiga foi uma das palestrantes. Foto: Renato Raphael/SEDES

Os chefes de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos também participam da oficina para melhorar o atendimento à população neste período de pandemia do novo coronavírus

 

A equipe da Subsecretaria de Assistência Social da Secretaria de Desenvolvimento Social realiza, nestas quarta (20) e quinta-feira (21), oficina de capacitação para os gerentes dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e Centros de Referência dos Centros Especializados de Assistência Social (Creas), além dos chefes do Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. O encontro tem como objetivo orientar as unidades socioassistenciais de ponta sobre as metodologias adotadas para o atendimento aos cidadãos durante esse momento de pandemia do novo coronavírus.

 

Três pontos estão na pauta da capacitação: explicar nota técnica que regula o atendimento remoto; apresentar o plano de contingência durante a pandemia e a proposta de territorialização dos serviços, que norteará o planejamento das próximas atuações da subscretaria. Os pontos são detalhados pelas diretorias de Atenção Integral às Famílias, de Serviços Especializados a Famílias e Indivíduos e de Convivência.

 

Participam representantes dos 27 Cras, dos 11 Creas e dos 17 Centros de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Para a subsecretária de Assistência Social, Kariny Alves Veiga, o alinhamento é necessário para que as equipes estejam prontas para enfrentar tanto os desafios da pandemia, como pós-pandemia. “Estamos em um trabalho que envolve integração, busca de meios e conhecimento, e união de esforços com um objetivo: assegurar a continuidade do atendimento para quem mais precisa”, enfatiza.

 

Os encontros, na sala de reuniões na sede da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), foram divididos em oito turmas dentro dos dois dias com o objetivo de garantir as regras de distanciamento social. As mesas estão espaçadas, com ampla circulação, além do uso de máscaras e disponibilização de álcool em gel nos corredores do prédio.

 

Ádamo Araujo