Mídia

Globo renova guerra com Bolsonaro e Pedro Bial o chama de “desgovernante”, “inominável” e “acéfalo”

“O inominado contribui de forma decisiva para que mais gente morresse”, disse o apresentador da Globo, Pedro Bial, subindo o tom contra Bolsonaro

Por Plinio Teodoro

Na abertura de seu programa de entrevistas, Conversa com Bial, na TV Globo na noite desta quarta-feira (16), Pedro Bial subiu o tom contra Jair Bolsonaro e chamou o presidente de “acéfalo que hoje ocupa o Palácio do Planalto”, dizendo que ele se superou ao trabalhar contra um plano de vacinação.

“Neste 2020 nefasto o Brasil se destacou. Difícil encontrar desgoverno que se compare no mundo. Desde o início, nosso desgovernante tentou negar a gravidade da crise, seguiu inventando remédios falsamente milagrosos, deu os piores exemplos, sem máscara e sem noção, causou aglomeração e sabotou ministros da Saúde e da Educação. O inominado contribui de forma decisiva para que mais gente morresse. Agora se supera, delirante, ao desprezar a única solução: a vacina. Mas, acredite, isso ainda não é o pior. Como disse o próprio acéfalo que hoje ocupa o Palácio do Planalto: morrer todo mundo vai morrer mesmo. Pior é para quem tem a vida pela frente”, disse Bial, logo na escalada inicial.

No programa, Bial entrevistou Claudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação e Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas, e o pediatra que ajudou a criar a campanha “Lugar de criança é na escola”, Daniel Becker.

“Vamos vacinar os professores primeiro! Vamos colocar os professores que estão na linha de frente de fato para serem vacinados antes de outros grupos populacionais”, afirmou a pesquisadora.

Becker alertou para as consequências da falta de socialização de crianças e adolescentes durante a pandemia.

“Tem criança pequena voltando a usar fralda e adolescente se recusando a sair do quarto. As crianças precisam socializar num ambiente como a escola, um espaço público pra eles, onde aprendem a se expressar, a ouvir”, disse.