Tecnologia

Google quer transformar smartphones Android em detectores de terremoto mundiais

© Foto / Pixabay / marcellomigliosi1956

O gigante da tecnologia afirma que a ferramenta poderia substituir sismógrafos de detecção e alerta de terremotos, pois “não é [algo] realmente prático, e é pouco provável que tenha cobertura global”.

O Alphabet, holding criada para centralizar o controle sobre todas as divisões do Google, está desenvolvendo uma nova ferramenta que poderá transformar os celulares Android em minissismógrafos para detectar terremotos em qualquer ponto do globo e alertar os usuários no local impactado, anunciou em um blog o Google na terça-feira (11).

“Com o custo crescente dos desastres naturais em todo o mundo, vimos uma oportunidade de usar o Android para fornecer às pessoas informações úteis e oportunas sobre terremotos quando pesquisarem, bem como alguns segundos de aviso para que elas e seus entes queridos possam se sentir seguros, se necessário”, disse o gigante tecnológico.
A nova ferramenta do Google, chamada Sistema de Alerta de Terremoto Android (AEAS, na sigla em inglês), dependeria de um pequeno componente já existente nos telefones Android, conhecido como um acelerômetro, um sensor que mede a direção e a força do movimento.

De acordo com Marc Stogaitis, principal engenheiro de software Android no Google, os acelerômetros provaram ter a capacidade de detectar acidentes de carro, terremotos e tornados.

“Seria ótimo se houvesse apenas sistemas baseados em sismômetros em todos os lugares que pudessem detectar terremotos”, comenta Stogaitis no portal The Verge.

“Isso não é realmente prático e é pouco provável que tenha cobertura global, porque os sismômetros são extremamente caros. Eles têm que ser constantemente mantidos, é preciso ter muitos deles em uma área para ter realmente um bom e precoce sistema de alerta de terremotos.”

Funcionamento do alerta

O gigante tecnológico disse que quando um terremoto começar, os smartphones enviarão informações para o Google, que examinará até algumas centenas de relatórios para ter certeza de que é um terremoto real antes de enviar alertas oportunos a todos os usuários na área impactada. Os alertas serão emitidos somente se a magnitude do terremoto exceder 4,5 na escala Richter.

“[Os acelerômetros são] sensíveis até o suficiente para detectar a onda P, que é a primeira onda que sai de um terremoto, e normalmente é muito menos prejudicial do que a onda S, que vem depois”, explica o Google, citado pelo USA Today.

Quando isso acontecer, os smartphones tocariam alto por até um minuto, mostrando instruções dizendo aos usuários para “soltar, cobrir e segurar antes que o tremor chegue”, além das instruções de segurança pós-tremor. O tempo de alerta e as instruções variariam de acordo com a distância do epicentro.

O Google disse que não haveria necessidade de baixar um aplicativo para receber alertas de terremoto.
O gigante de tecnologia norte-americano afirma que pretende começar a testar o sistema de alerta de terremotos Android na Califórnia, EUA, e o disponibilizará em outras partes do mundo o mais rápido possível.

“Como primeiro passo, os terremotos que este sistema detecta serão usados para melhorar a velocidade e a precisão das informações sobre terremotos na Pesquisa Google. E no futuro próximo, usaremos esta tecnologia para enviar alertas antecipados aos usuários do Android em áreas impactadas”, disse o gigante tecnológico.

PUBLICIDADE