GDF Política Saúde

Ibaneis elogia Mandetta, mas apoia demissão: “Já vai tarde”

Governador do DF vinha criticando a atuação do agora ex-ministro pela falta de suporte às secretarias estaduais de Saúde

Mais cedo, durante entrevista a uma rádio, o emedebista disse que o presidente precisava “usar a caneta” dele para resolver a questão. “Eu até brinquei que ia mandar para ele uma boa caneta, porque ele precisava usar a caneta”, disse.

“Quem tem o poder da caneta tem de usar, porque quem sofre quando não usa é a população. Então eu fiz a brincadeira com o presidente, porque estava passando da hora de usar a caneta. Há muitos homens preparados no Brasil que podem executar políticas de saúde sem se contrapor ao presidente”, acrescentou.

Ainda segundo Ibaneis, “Mandetta poderia ter dado uma via muito mais forte para o país, principalmente no que diz respeito ao atendimento às secretarias de saúde”. “Faltou uma agilidade do Ministério da Saúde para gerir a crise como um todo”, emendou.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) exonerou, nesta quinta-feira (16/04), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. O oncologista Nelson Teich assume o posto.

A exoneração ocorre em meio à crise do novo coronavírus e após um longo e explícito processo de fritura do ex-ministro. Segundo boletim mais recente do Ministério da Saúde, o Brasil tem 28.320 infectados em todos os estados e 1.736 mortes registradas.

PUBLICIDADE