Internacional

Líder do Congresso peruano pede demissão do presidente Merino

Milhares de peruanos estão nas ruas desde segunda-feira contra o presidente Manuel Merino. | Foto: EFE

Até o momento, nenhuma autoridade governamental se manifestou para protestar pelos atos violentos que já deixaram dois mortos e mais de dez feridos.

Após a avaliação provisória da repressão policial de duas mortes e mais de 10 feridos durante o novo dia de manifestações no Peru, o presidente do Congresso, Luis Valdez, pediu a renúncia imediata do novo presidente, Manuel Merino.

Em nota divulgada no Twitter do Congresso, a reunião da diretoria foi divulgada para este domingo às 8h para discutir a sucessão de Merino. 

“Peço ao Sr. Merino que avalie sua renúncia imediata”, disse Valdez em declarações ao canal N de televisão.

A pedido de Valdez, o prefeito de Lima, Jorge Muñoz, aderiu após a confirmação da primeira morte, durante os protestos contra o governo.

“Lamento profundamente a morte de um jovem peruano na manifestação de hoje. Sr. Manuel Merino, renuncie agora! Ouça os peruanos! ”, Disse o prefeito da capital peruana por meio de sua conta no Twitter.

Até o momento, nenhuma autoridade governamental se manifestou para protestar pelos atos violentos que já deixaram dois mortos e mais de dez feridos.

Os cidadãos consideram que o que foi feito pelo Congresso responde a uma manobra a favor dos interesses privados e a uma tentativa de perpetuação no poder. 

Desde segunda-feira, milhares de cidadãos saíram às ruas das principais cidades do país para repudiar o afastamento do Presidente Martín Vizcarra, por considerar que se trata de uma decisão inconstitucional de um Congresso da oposição e uma “vingança” da extrema direita que só volta deteriorar o sistema democrático naquele país com a posse de Manuel Merino como presidente interino.

PUBLICIDADE