JUSTIÇA Segurança

Luis Felipe Miguel: é hora de prender Sara Winter

(Foto: Reprodução)

“Ameaças verbais muitas vezes são só bravatas, feitas quando alguém perde a cabeça”, avalia o professor de Ciência Política da UnB Luis Felipe Miguel, que pondera: “Ela [Sara Winter] não é uma cidadã qualquer. Ela é a líder de uma milícia armada”

Por Luis Felipe Miguel, em seu Facebook 

 

Ameaças verbais muitas vezes são só bravatas, feitas quando alguém perde a cabeça.

Mas, no caso de Sara Winter, há três elementos a ponderar:

1) Ela não perdeu a cabeça. Fez uma performance deliberada, de caso pensado, para passar um recado.

2) Não foi só a ameça de “trocar soco com esse filha da puta desse arrombado”, como ela disse em seu linguajar refinado. Ela anuncio um plano de importunação e convocou seus correligionários a se somarem a ele.

3) Ela não é uma cidadã qualquer. Ela é a líder de uma milícia armada.

Um bom momento para mandá-la para a cadeia. Motivos não faltam. Fico com pena das outras presidiárias – conviver com Sara Winter certamente se enquadra naquilo que nos Estados Unidos chamam de “punição cruel e incomum”.

PUBLICIDADE