Brasil Política

Lula estende a mão e sinaliza que quer dialogar com as Forças Armadas

Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Ricardo Stuckert)

O ex-presidente Lula pretende dialogar com os militares, com os quais seu governo manteve bom relacionamento institucional. Lula quer entender as razões da animosidade de setores das Forças Armadas contra ele e o Partido dos Trabalhadores e as novas posições dos militares sobre as privatizações

247 – Em plena ação depois que saiu da prisão para mobilizar o povo na oposição do governo Bolsonaro, o ex-presidente Lula está buscando também articulação política e diálogo com amplos setores.

Ele sinalizou que pretende conversar com militares ou com interlocutores deles.

Desde que estava na cadeia, Lula expressava interrogações sobre a postura de setores das Forças Armadas favoráveis à privatização.

Uma das preocupações de Lula é a animosidade de setores das Forças Armadas contra ele e o Partido dos Trabalhadores. As informações são da jornalista Mônica Bergamo em sua coluna na Folha de S.Paulo.

Quando o STF (Supremo Tribunal Federal) votava o habeas corpus em que Lula pedia para não ser preso, em 2018, o então comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, chegou a escrever uma mensagem no Twitter condenando a “impunidade”. E dizendo, em ameaça velada,  que os militares estavam atentos “às suas missões institucionais”.

Na época, a mensagem foi entendida como pressão sobre a Suprema Corte para que permitisse a prisão de Lula.

PUBLICIDADE