É possível que, passado esse período, se perceba que Mandetta não é muito melhor do que Bolsonaro. Fosse melhor, não criaria um incidente desta ordem, em plena efervescência da guerra contra o coronavirus.

Na entrevista ao Fantástico, o Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta mostrou sua dimensão política: pequeno. Uma entrevista insossa, fraquíssima, sem nenhuma informação relevante, cujo único objetivo foi o de acelerar a saída do Ministro, no auge do seu prestígio.

Houve três sinais nítidos: o fato da entrevista ser no Palácio de Governo de Goiás, do governador Ronaldo Caiado, e para a TV Globo, ambos tratados como inimigos por Bolsonaro. E, as pequenas pinicadas de Mandetta em Bolsonaro, suficientes para despertar o louco que habita a mente atormentada do Presidente.

Conforme Mandetta lembrou na entrevista, a parte mais dura da guerra contra o coronavirus será nos próximos dois meses. Foi dúbio. Em vários momentos deixou passar a sensação de que seria a parte mais dura… para ele. Disse que apareceriam críticas contra qualquer falha do programa, pelos “engenheiros de obras feitas”.

Saindo agora, exime-se do desgaste das explicações diárias sobre as falhas na estratégia. Ficará nítido a demora da Saúde em agir, as falsas promessas de remessa de produtos aos estados, até agora não cumpridas. Quebrada a blindagem, o perfil passado de Mandetta virá puxá-lo pela perna, inclusive seu apoio aos cortes de verbas da Saúde com a PEC do Teto.

É possível que, passado esse período, se perceba que Mandetta não é muito melhor do que Bolsonaro. Fosse melhor, não criaria um incidente desta ordem, em plena efervescência da guerra contra o coronavirus.

PS – Assisti a entrevista de Damares Alves à CNN. É impressionante a facilidade com que Ministros despejam números a torto e a direito, e anunciam programas genéricos, já existentes antes do coronavirus, ou sendo meros projetos que sequer saíram do papel, sem serem questionados.

A Ministra convidou todas as mulheres ameaçadas em casa a procurar o Ministério, que teria abrigo para todas e para os filhos. Anunciou tanta medida de apoio aos índios e às comunidades tradicionais, que é espantoso que ainda existam problemas com eles.