Cidade Política

Moradores protestam contra nomeação de parentes de Jorge Vianna

MATERIAL CEDIDO AO METRÓPOLES

A Grande Angular revelou que o MPDFT investiga a contratação de familiares do distrital na Administração Regional de Samambaia

Após a Grande Angular ter revelado que o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) investiga supostas irregularidades na nomeação de parentes do deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) na Administração Regional de Samambaia, moradores protestaram em frente ao prédio do órgão.

Nesta sexta-feira (10/01/2020), faixas com críticas ao parlamentar foram fixadas no gramado. Também havia letreiros indicando apoio ao atual administrador, Gustavo Aires. “Deputado Jorge Vianna, Samambaia não te pertence, pertence à comunidade”, diz um dos protestos.

Veja:

Segundo a denúncia feita ao MPDFT, haveria pelo menos sete familiares do distrital no órgão e no Complexo Cultural de Samambaia.

A investigação está a cargo da Promotoria Regional de Defesa dos Direitos Difusos.

“Os envolvidos são parentes do deputado distrital Jorge Vianna e estariam fazendo uso de força em manifestações populares pacíficas, utilizando equipamentos da Diretoria de Obras para beneficiar empresários locais e obrigando os subordinados a participar de eventos e atos em apoio ao deputado distrital”, informou o MPDFT.

A promotoria solicitou, por meio de ofícios, que a Administração Regional de Samambaia apresente informações sobre a presença de servidores que tenham parentesco com o político e detalhes sobre as máquinas, como caminhões, que teriam sido utilizadas para beneficiar o parlamentar no dia 29 de junho de 2019.

Confira os documentos:

Vianna confirmou à coluna ser parente de três servidores da RA, mas argumentou que eles foram nomeados e continuam nos cargos por méritos próprios.

Sobre as faixas de protesto, destacou que “Samambaia sempre foi uma cidade muito polarizada politicamente” e que “o grupo que se manifestou está querendo cargos na administração porque sempre estiveram nomeados”.

“São quatro pessoas, duas delas tem várias passagens pela polícia por agressão. O fato de eu não ceder às pressões e cobrar prestações de contas das gestões anteriores me faz ser atacado por eles. Sigo com minha consciência de fazer o melhor, levar desenvolvimento para Samambaia e acabar com essa politicagem”, completou

De acordo com o parlamentar, uma das pessoas envolvidas possui pretensões políticas. “Ela foi candidata na última eleição para distrital. Ou seja, há interesse dela em me prejudicar”, afirmou.

Procurada, a Administração Regional de Samambaia informou que “o direito de manifestação popular é legítimo”.

PUBLICIDADE

Posts