Mídia

Morre o ator Eduardo Galvão, aos 58 anos, vítima de Covid-19

Eduardo Galvão (Divulgação)

Eduardo estava internado havia mais de uma semana no Rio. Ele deu entrada com cerca de 50% dos pulmões comprometidos

Por Luisa Fragão

O ator Eduardo Galvão morreu na noite desta segunda-feira (7) aos 58 anos, vítima de coronavírus. Ele estava internado havia mais de uma semana em um hospital particular do Rio de Janeiro, com cerca de 50% dos pulmões comprometidos.

Segundo informações da coluna de Fefito, no UOL, Eduardo precisou ser intubado e passou seus últimos dias na UTI. Por volta da meia-noite, familiares e amigos do ator confirmaram sua morte.

Nas redes sociais, diversos artistas lamentaram a morte de Eduardo. “Meu Deus! Partiu nosso grande amigo Eduardo Galvão. Desarvorada. Emudecida. Sem chão”, escreveu a humorista Dadá Coelho.

“RIP Eduardo Galvão! O mais novo da turminha. O mais alegre, o mais engraçado, o mais saudável! Dor imensa”, comentou José de Abreu.

Outros famosos, como Elisabete Pacheco, Marina Moschen, Tuca Andrada, Inez Viana, Mayara Magri, Antonio Grassi e Marcelo Várzea também prestaram homenagem ao ator.

A última novela de Eduardo foi “Bom Sucesso”, da Globo, em 2019. Ele ficou conhecido, no entanto, por trabalhos como o infantil “Caça Talentos” (1996), no qual contracenava com Angélica, e “Menino Maluquinho” (2006), no qual interpretava o pai do famoso personagem de Ziraldo.

O artista também fez sucesso ao atuar em novelas como “Despedida de Solteiro” (1992), “Porto dos Milagres” (2001) e “O Beijo do Vampiro” (2002). Ele teve ainda teve passagens pela Record, onde atuou em “Apocalipse” (2017), e pela Band, onde fez “Dance Dance Dance” (2007).