CLDF Saúde

Mulheres em situação de rua no DF receberão absorventes

Projeto garantirá a dignidade e a saúde de pessoas vulneráveis. Distribuição será gratuita e em quantidade correspondente às necessidades de cada mulher

 

O plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aprovou, nesta terça-feira (10), o Projeto de Lei que institui o Programa de fornecimento de absorventes higiênicos para população em situação de rua no Distrito Federal. A iniciativa, que surgiu a partir de demandas apresentadas por mulheres e assistentes sociais que trabalham no atendimento a pessoas vulneráveis, é do deputado Distrital Fábio Felix (PSOL).

Os Centros de Referência Especializada para População em Situação de Rua (Centro POP) e o Serviço de Abordagem Social do GDF ficarão responsáveis pela logística de distribuição, que deve atender às necessidades específicas de cada mulher.

 

Fábio Félix. Foto: Reprodução

A assistente social do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), Karine Figueiredo, elogiou a medida. “Esse projeto é muito importante para garantir atendimento a uma demanda de saúde das mulheres e meninas em situação de rua. Presencio diariamente o constrangimento e os riscos de saúde que essas mulheres enfrentam”, relata.

“São muito tristes os relatos que chegam até o nosso gabinete. São pessoas que não possuem condições financeiras para custear o material de higiene íntima e, na ausência de absorventes, recorrem a formas precárias de proteção”, defende o deputado Fábio Felix, autor do Projeto de Lei.

Os relatos citados pelo parlamentar incluem a utilização de uma ampla gama de objetos inadequados à saúde no lugar dos absorventes menstruais: meias, plásticos, miolo de pão, jornal, peças de roupa. Em 2014, a ONU elaborou uma declaração no Dia Internacional da Mulher com o título “Toda mulher deve ter o direito a água, saneamento e higiene”. No Brasil, além da dificuldade para comprar os absorventes, as mulheres que vivem nas ruas muitas vezes não possuem acesso a banheiros e a água corrente para higiene. Essa situação pode levar a um conjunto de doenças.

O Serviço de Abordagem Social e o Centro de Referência Especializada para População em Situação de Rua (CENTRO POP) são os serviços da Assistência Social do DF que fazem parte do acompanhamento sistemático e cotidiano do segmento da população atendido pela Lei aprovada hoje. “Por isso, são os espaços mais adequados para realizar a triagem e a distribuição desses materiais”, finaliza Fábio Felix.

PUBLICIDADE