Saúde

Mutação do coronavírus, 70% mais transmissível, se propaga e é detectado em países da Europa e Austrália

Alerta sobre o coronavírus no Reino Unido (Foto: Al Jazeera)

Na Itália, primeiro caso do variante do coronavírus foi diagnosticado em Roma. Na América do Sul, Argentina, Chile, Colômbia e Peru suspenderão voos de e para o Reino Unido

Por Plinio Teodoro

Uma variante altamente infecciosa do coronavírus, que foi detectada no Reino Unido, se propaga por outros países da Europa e já teria chegado à Austrália, alertam cientistas que atuam junto ao Grupo de Desenvolvimento de Trabalho da Organização Mundial da Saúde.

A mutação do coronavírus, chamada B.1.1.7, é cerca de 70% mais transmissível que a versão original e já foi detectada na Dinamarca, Holanda e Itália, além do Reino Unido e Austrália.

A Itália, um dos países mais afetados pela primeira onda do Covid-19, anunciou o primeiro caso da nova cepa, após suspender voos vindos do Reino Unido.

Em nota divulgada na noite deste domingo (20), o Ministério da Saúde italiano especificou que o paciente infectado com a nova cepa foi identificado no hospital militar Celio, em Roma. Ele voltou recentemente do Reino Unido de avião e todos seus familiares estão em quarentena.

Áustria, Bélgica, França, Alemanha, Irlanda, Itália e Holanda também anunciaram a suspensão das conexões aéreas e, em alguns casos, das conexões marítimas e ferroviárias com o Reino Unido.

Na América do Sul, governos da Argentina, Chile, Colômbia e Peru anunciaram neste domingo que suspenderão voos de e para o Reino Unido.

O Ministério do Interior da Argentina disse em seu comunicado que o último voo do Reino Unido para o país sul-americano deve chegar a Buenos Aires na manhã desta segunda-feira (21). Os passageiros e a tripulação terão que cumprir quarentena de sete dias.

O governo do Chile, por sua vez, disse que estrangeiros não residentes que estiveram no Reino Unido nos últimos 14 dias serão proibidos de entrar no país. A medida entrará em vigor à meia-noite de terça-feira e durará duas semanas.

Publicidade