Política

Na CCJ, Bia Kicis quer pautar projeto para limitar ação do STF em medidas do legislativo

Bia Kicis e Bolsonaro (Reprodução/Twitter)

“Esse projeto eu faço questão”, disse a deputada bolsonarista, que pretende usar a CCJ para retaliar o ministro Alexandre de Moraes, que conduz o inquérito das fake news no STF

Por Plinio Teodoro

Investigada no inquérito conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes sobre a milícia virutal bolsonarista que propaga fake news e discurso de ódio, Bia Kicis (PSL-DF) já tem planos de pautar, caso seja eleita presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, projeto para tornar crime de responsabilidade (sujeito ao impeachment) um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) tomar decisões monocráticas que avançariam em competências do Legislativo.

“Esse projeto eu faço questão. Sou a favor de que o Parlamento tenha seu poder respeitado. Isso é errado? Se for eu faltei nessa aula em que era proibido defender a separação dos três Poderes”, afirmou a parlamentar em entrevista ao Valor Econômico.

Defendido pela bancada evangélica, o projeto pode ser usado pela deputada bolsonarista para retaliar Moraes.

“Nunca ataquei o Supremo, mas não quero que o Supremo me ataque e usurpe a minha competência [como deputada]”, disse.