Segurança Sociedade

Novo ciclo de oficinas anima população de alojamentos temporários

Os participantes do projeto assistiram um filme e fizeram uma oficina de pintura. Foto: Divulgação/Agência Brasília

Desta vez, 25 pessoas alojadas no Estádio Abadião foram contempladas. O objetivo é estimular a criatividade e aumentar a autoestima dessa população

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: FREDDY CHARLSON

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) finalizou, nesta quarta-feira (24), mais uma fase do projeto Vivências Artísticas e Culturais, com oficinas e dinâmicas com apresentação de filme e debate junto à população em situação de rua. Desta vez, 25 pessoas alojadas no Estádio Maria de Lourdes Abadia (Abadião) foram contemplados. O objetivo do projeto é estimular o potencial criativo e aumentar a autoestima da população em situação de rua alojada provisoriamente nos abrigos criados pelo Governo do Distrito Federal (GDF), por conta da pandemia motivada pelo novo coronavírus.

A próxima oficina ocorrerá no Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Granja das Oliveiras, no Recanto das Emas, na próxima semana. A ação é uma parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

As atividades tiveram início nessa terça-feira (23) com a apresentação do filme O Melhor Fotógrafo do Mundo. Nesta quarta-feira (24), os participantes participaram de uma oficina de pintura. O secretário de Segurança Pública, Anderson Torres, diz que serão aplicados questionários para avaliar o impacto da iniciativa. “Queremos estimular a criatividade dessas pessoas por meio de atividades lúdicas. Além disso, com a aplicação de questionários, poderemos conhecer melhor o perfil destas pessoas, o que vai contribuir com o desenvolvimento de políticas públicas na área de Segurança Pública”, disse o secretário.

Atividades

Para a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, as atividades desenvolvidas pelo projeto resgatam a cidadania dessas pessoas que estão em uma situação de vulnerabilidade social. “As aulas possibilitam que eles se expressem, coloquem seus sentimentos, melhorem a autoestima e confiança, resgata sonhos e, com isso, eles voltam a ter objetivo e metas para seguir suas vidas”, destaca.

O filme tem duração de 25 minutos e conta a história de um horticultor que não conseguiu realizar o sonho de ser fotógrafo. A escassez de dinheiro o impediu de comprar uma máquina fotográfica, mas não retirou dele o sonho de enxergar o mundo com outros olhos e compartilhá-lo com o filho. Logo depois, o diretor do filme, o cineasta e policial militar Fáuston da Silva, e os atores e também policiais Genivaldo Sampaio e Livia Fernandez – todos servidores da Secretaria de Segurança –debateram o tema com os participantes. A oficina de pintura foi conduzida pelo professor Herbet Vale.

“Durante as oficinas tivemos a oportunidade de ouvir essas pessoas e saber quais são os seus sonhos. Chamou a atenção o fato de quererem uma oportunidade de recomeço. Muitos demonstraram a vontade de serem artistas plásticos, outros com sonho de serem engenheiros, advogados ou simplesmente “bons pais””, contou Lívia.

A ação foi pensada por conta da representatividade que a SSP/DF possui no Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento da Política Distrital para a População em Situação de Rua – Ciamp/DF, por meio de sua Subsecretaria de Prevenção à Criminalidade (Suprec).

Pandemia

As oficinas seguiram as recomendações dos órgãos oficiais de saúde. Durante as aulas, para a segurança dos participantes e professores, as aulas foram ministradas para pequenos grupos. Além disso, todos utilizarão máscaras de proteção individual e farão a assepsia de mãos com uso de álcool gel.

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

PUBLICIDADE