Geral

Novo escândalo na praça: a venda de emendas do orçamento secreto

 

O pagamento é feito em dinheiro vivo, na maioria das vezes em Brasília

 

A Controladoria-Geral da República está com uma tarefa a mais, e já não são poucas: investigar, juntamente com a Polícia Federal, um esquema de venda de emendas parlamentares ao Orçamento da União a prefeituras em troca de um determinado percentual.

Quem vende? Parlamentares que tiveram suas emendas aprovadas no que o jornal O Estado de S. Paulo batizou de “orçamento secreto”. O nome pegou. Eles vendem a quem? A prefeituras fora do seu reduto eleitoral. E quanto cobram? É isso que se quer saber.

Foi o ministro-chefe da Controladoria-Geral, Wagner Rosário, que revelou em audiência na Câmara, deixando deputados assustados. De um deles, este blog ouviu que o pagamento é feito em dinheiro vivo, na maioria das vezes em Brasília mesmo.