Holístico

O GRANDE ENCONTRO ENTRE SATURNO E PLUTÃO

 
 

Em se tratando de Saturno e Plutão, não existe discussão. É uma conjunção associada a conceitos de guerra, onde se instala miséria coletiva e há a necessidade de sobrevivência a qualquer custo.

 

por Titi Vidal

Saturno e Plutão costumam ser planetas temidos e pensar que ambos vão se encontrar em breve, é de fato assustador. Não à toa, Saturno ganhou no passado a fama de grande maléfico e certamente só foi desbancado dessa função com o surgimento de Plutão.
Em Astrologia mundial – a área da Astrologia que estuda os grandes ciclos e as questões coletivas –Saturno representa dificuldades, desafios, aquilo que não tem resultados imediatos. Sempre fala de retorno a médio e longo prazo, de sensação de lentidão e escassez.
Costuma trazer um clima geral de mais pessimismo e está relacionado aos produtos básicos de um pais, como a cesta básica, aqueles que costumam indicar a inflação. Fala de períodos de inflexibilidade, onde as escolhas são todas difíceis. Fala em mercados em queda, retração da economia, diminuição na oferta de empregos, num momento no qual em geral os supérfluos precisam ser cortados.
Saturno reflete os problemas de infra-estrutura, onde o mercado precisa desacelerar para se reestruturar.
Está associado ao frio, à seca, a um clima mais rigoroso, com menos umidade relativa do ar no verão e queda de temperatura com muito frio no inverno.
Saturno fala, ainda, sobre as doenças associadas à falta de infra estrutura, como dengue, febre amarela, questões pulmonares, e outras. Também relaciona-se com fome e problemas sociais básicos, como a já referida falta de emprego e falta de planejamento.
É Saturno o regente da ala mais conservadora, indicando pessoas em geral mais velhas ou resistentes às mudanças.
Fala sobre marcos históricos, momentos e contextos importantes, seja por ser o inicio de uma nova fase que gera os tradicionais problemas de infra estrutura de qualquer começo, seja por falar em transformações lentas e significativas. Saturno rege também os produtos velhos e fora de linha, que estão ficando obsoletos, com ciclos de vida que estão terminando.
Saturno está relacionado à repressão, a resistência às mudanças, o medo de mudar. Por isso tende a representar momentos sólidos, estáveis, porém de inércia e manutenção a todo custo.
Problemas como má administração, recessão, fracassos e atrasos também são de Saturno, assim como as pessoas mais austeras.
Por sua vez, Plutão representa o mundo dos computadores, as industrias e os microchips, a nanotecnologia, além de falar sobre mercados hipermercados, produtos sem concorrentes por se tratarem de tecnologia de ponta. Empresas macropoderosas são de Plutão.
Representa os transgênicos, as sementes modificadas e o processo de clonagem. A biotecnologia, transplante de células tronco.
O poder de Plutão é tamanho que pouca gente consegue acessar. São os pequenos muito poderosos.
Plutão está super relacionado ao vandalismo, extermínio, terrorismo, guerras, radicalismo, destruições em massa. A bomba atômica é relacionada a Plutão.
Questões de luta pelo território e pelo poder também estão ligadas a Plutão, assim como a corrupção e o submundo. Máfia, grandes atentados, traficantes, esgotos idem.
Saturno e Plutão estão no signo de Capricórnio, que em Astrologia mundial relaciona-se ao racismo, a censura, a política, os recursos naturais, as minas, os setores essenciais à vida, como saúde, saneamento básico, energia elétrica e alimentação. Rege os lugares sem infra estrutura, mais secos e áridos, mais subdesenvolvidos. Relaciona-se com administração e contabilidade, personalidades mais idosas e regimes mais conservadores. Tem a ver com territórios, soberania e a realidade nua e crua. Quando planetas importantes estão em Capricórnio, é hora de colocar a casa em ordem, ainda que para isso todos os problemas sejam levantados e precisem ser encarados.
Falando especificamente sobre esse grande encontro, temos o início de uma grande conjunção, um dos ciclos que servem como um pano de fundo e oferecem contexto. Quando Saturno e Plutão se encontram, é sempre um momento importante e temos fins e começos de ciclos simultaneamente.
Ambos são planetas reptilianos, ou seja, mais relacionados às características do cérebro reptiliano, tais como estar sempre na defensiva, brigar pelo poder e lutar pela sobrevivência a qualquer custo.
Essa grande conjunção costuma estar ligada a problemas de autoridade em nível máximo, questões de territorialidade, fundamentalismo e terrorismo. Tudo super potencializado.
Casos de psicopatia que trazem eventos em massa, grandes tragédias também ficam mais evidentes. Há um aumento significativo dos problemas psicológicos.
Em se tratando de Saturno e Plutão, não existe discussão. É uma conjunção associada a conceitos de guerra, onde se instala miséria coletiva e há a necessidade de sobrevivência a qualquer custo.
São períodos de muito desequilíbrio, onde temos problemas de infra estrutura e miséria, e um enorme clima de terror. Há tirania, riscos iminentes, tragédias e atentados de grande proporção.
São períodos nos quais os direitos humanos tendem a ser menos respeitados e muitas atitudes são na linha dos “fins justificam os meios”. Há destruição de cidades, terrorismo e fundamentalismo fortes.
É um aspecto muito associado a marcos importantes na energia nuclear, que levou às bombas atômicas. São momentos de exploração de recursos energéticos e naturais e luta por eles. Não à toa está tão relacionado aos ciclos do petróleo e todos problemas decorrentes, inclusive as guerras.
A Primeira e a Segunda Guerras Mundiais tiveram influencias de Saturno e Plutão, assim como a Guerra do Golfo, os problemas Irã-Iraque e a Guerra das Malvinas, entre outros. A explosão das bombas de Horoshima e Hagasaki foram sob um marco Saturno-Plutão.
Vale ressaltar que os efeitos são sentidos não apenas quando estão em conjunção, quando são mais fortes, mas também em suas quadraturas e oposições.
São períodos de êxodo, do fim do Estado de Direito, de retrocessos históricos, políticos, econômicos e outros.
Morrem ou estão no poder pessoas mais conservadoras. Costumam ser períodos que enfatizam as máfias, as milícias e o crime organizado. Indicam marcos de fome, miséria coletiva, imagens horríveis, invasões, desrespeitos e afins. EM termos de natureza, podemos ver terremotos, vulcões em erupção e outras tragédias nessa linha. São momentos de barbárie e colapso. Sofre a natureza, sobrem as pessoas.
Tecnologicamente, são marcos muito importantes, relacionados a grandes desenvolvimentos e avanços. A cibernética, o microchip, a pílula anticoncepcional, a clonagem e tantos outros avanços vieram representados por esses aspectos. Só que isso também sempre gera um pânico, um medo coletivo. Blade Runer, filme lançado em pleno aspecto Saturno-Plutão, é a prova disso.
Os misseis foram criados com Saturno-Plutão, assim como a genética teve avanços importantes, entre eles o surgimento das bases para a radioterapia e estudos importantes sobre os genes.
O primeiro computador surge em aspectos Saturno-Plutão e seus desenvolvimentos também têm a ver com esse ciclo.
A AIDS aparece sob seus efeitos e seus encontros costumam trazer avanços e desenvolvimentos importantes. Quem saber uma nova Saturno-Plutão traga uma cura definitiva.
No mapa do Brasil, Saturno e Plutão encontram-se na cúspide da casa 12, que para a Astrologia Mundial representa os excluídos, presídios, os massacres, hospitais, asilos, instituições de caridade, indígenas, as fronteiras e povos mais isolados. Fala sobre os poderes ocultos, o crime organizado, as milícias, o mundo do crime. Pessoas mais simples, humildes, exploradas e os alienados. Tem a ver com drogas e armas, direitos humanos. Relaciona-se com as enchentes, o contrabando, os crimes ambientais e as coisas clandestinas.
Ao relacionar temas e significados, podemos observar que não são assuntos fáceis nem momentos simples de lidar. Seus efeitos já vem sendo sentidos desde que um eclipse, em janeiro de 2019, ativou simultaneamente Saturno e Plutão, que ainda não estavam tecnicamente em conjunção, mas que enquanto orbe de grandes ciclos já estavam atuando em conjunto e tiveram ali seu primeiro start. Vimos acidentes, catástrofes, aumento da violência e do clima mais conservador. Problemas de infra estrutura e tudo aquilo que devia ter sido ou que não devia ter sido feito antes trazendo agora seus efeitos e resultados. Um momento cheio de drama e tragédias, naturais, sociais e outras.
Estamos vendo o mundo em guerra, seja declarada ou oculta, com violência, migrações, problemas de fronteira e situações de extrema miséria e dor. Saturno e Plutão aproximam-se cada vez mais e ainda que ambos fiquem retrógrados por alguns meses, seguem atuando coletivamente no céu. O encontro exato é em janeiro de 2020 e podemos sentir seus efeitos desde o início de 2019 até o fim de 2020.
Para quem interessar possa, as conjunções anteriores foram em maio de 1915, agosto de 1947, novembro de 1982, sendo que sempre atuaram um tempo antes e um tempo depois e que suas quadraturas e oposições também foram super sentidas. Por exemplo, o atentado ao World Trade Center aconteceu quando ambos estavam em oposição.
Não quero com isso gerar pânico nem dizer que o momento é de todo ruim. É uma fase bastante delicada, difícil, e requer atenção. Alguma coisa precisa mudar no mundo e essa mudança é de fato estrutural. É preciso rever as bases, as origens, e isso será feito por bem ou por mal.
Vale lembrar que se isso está acontecendo num contexto coletivo, está também acontecendo no mapa de cada um de nós. Em alguma área da nossa vida, a lama e o lixo que acumulamos ao longo do tempo quer emergir, quer vir à tona, quer ter um destino melhor. Em algum canto dentro ou fora de nós, algo precisa ser revisto, reestruturado e transformado. Se acontece fora é porque acontece dentro e talvez o caminho seja uma mudança que parte de cada um de nós.
Ao se tratar de marcos importantes em termos de evolução tecnológica, por exemplo, podemos esperar boas notícias e coisas que chegam para tornar nossa vida melhor. Mas isso também tem um custo e questões éticas envolvidas.
E como esse não é o único aspecto presente no céu, vale lembrar que sempre podemos fazer a nossa parte, mudar alguma coisa. Se a coisa chegou nesse ponto, é porque nada foi feito antes para evitar. E se não podemos mudar o passado, ao menos podemos construir um novo futuro e o que mais importante nesse momento é que, custe o que custar ou leve o tempo que for, cada um de nós se empenhe para que isso seja de fato possível.
Não dá mais para tapar o Sol com a peneira. É hora de pagar a conta, de encarar a realidade e fazer o que precisa ser feito. Já. Por isso Saturno e Plutão também ficam retrógrados antes do grande encontro, porque já avisaram a que vierem e agora querem dar uma chance para minimizar os estragos futuros. Será que estamos ouvindo o chamado? Será que vamos aprender a lição?

PUBLICIDADE