Cidadania Religião

Oração em segredo em tempos de lockdown

Tu, porém, quando orares, entra no “teu quarto” e fechada a porta, orarás a teu Pai, que vê em secreto te recompensará (Mateus 6:6).

Por – Ataide Santos

Com o crescimento exponencial de contaminação e morte de pessoas pelo Covid – 19, o governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha decretou que a partir do primeiro minuto do domingo 28 de fevereiro de 2021 (DODF-Edição extra de 26/02/2021) todo território candango estará em “lockdown” ou seja,  “ em confinamento, ou protocolo de isolamento  (Medida de proteção de pessoas, cargas ou sistemas computacionais de um evento ou agente externo).

Ibaneis poderia ter adotado “medidas restritivas” ação mais branda que o lockdown, mas devido a gravidade da situação adotou a mais radical. Devendo funcionar só o que seja de fato essencial à sobrevivência humana, tais como fornecedores de alimentos, remédios, combustíveis e materiais de construção e alguns outros poucos.

No entanto, a Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou uma lei de autoria de seu vice-presidente Rodrigo Delmasso, que coloca as igrejas como serviço essencial em caso de pandemia e nessa situação e sob vigor dessa lei, as “casas” religiosas de qualquer credo poderão receber em seus espaços físicos os crentes para os rituais ali praticados. É de fato necessário abrir estas casas nesse momento tão grave? Falaremos sobre isso a seguir.

Alguns dirão que é necessário louvar a Deus a todo momento. E estão certos. Mas só podemos louvar em templos? Nossa casa também não está consagrada a Deus? E também por isso não é um templo de onde Deus receberá as nossas preces?

“E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão”. Mateus 6:5

A fé deve ser também racional. Podemos facilmente prever que fervoroso fiel da tal crença, não compartilhada em sua casa, foi a “reunião de fé” e lá, contaminado, trouxe para aqueles que lhes compartilha o teto e não a fé, o famigerado convid-19. Ou mesmo o inverso.

Será realmente necessário ir à igreja?

“Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.” Mateus 6:6

Recentemente tem sido propalada uma prática de pouco mais de 12 mil anos, a meditação. Se antes pelos monges, iogues e afins, hoje é recomendado por médicos, religiosos dos diversos seguimentos e até por populares. O que é meditar?  É silenciar para entrar em contato com o Divino. Da forma que o conceba. Veja o que mais uma vez Mateus nos ensina:

“E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos.” Mateus 6:7

O mesmo Deus que lhe criou que recebe oração no templo, recebe também na casa de quem o evoca, no silêncio de onde quer que esteja aquele que N’Ele crê.  Algumas casas religiosas estarão abertas por força da lei dos homens, mas não lhes obriga (ao menos não devem) a ir lá nesse momento crucial para toda humanidade. E você o que fará?  Sugiro parafraseando Mateus: Entra em teu quarto e em silêncio (meditação) pede orientação e Ele em te ouvindo não te faltará com o melhor proceder.

Que a humanidade, humildade, fraternidade e sabedoria se assenhore de  todos  nós.