Política

Presidente do Serpro mentiu à Câmara ao dizer que não esteve em reunião com Flávio Bolsonaro

Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

A reunião teria sido para tratar das suspeitas da defesa do senador sobre uma possível devassa fiscal em seu perfil por uma organização criminosa da Receita

Por Julinho Bittencourt

O diretor-presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), Gileno Gurjão Barreto, mentiu ao afirmar em ofício à Câmara dos Deputados que não se reuniu com Flávio Bolsonaro e suas advogadas.

De acordo com a coluna de Guilherme Amado, Gurjão esteve na manhã do dia 29 de setembro em uma casa do Lago Norte, bairro nobre de Brasília, para uma reunião com Flávio e suas advogadas, Luciana Pires e Juliana Bierrenbach.

A reunião teria sido para tratar das suspeitas da defesa do senador sobre uma possível devassa fiscal em seu perfil por uma organização criminosa da Receita.

O encontro foi na Quadra do Lago 2, no conjunto seis. A coluna não informa o número da casa em nome da privacidade alheia.

Gurjão Barreto respondeu na conversa que não poderia entregar nenhum dado da Receita Federal, porque o Serpro tem com todos os seus clientes um contrato de confidencialidade, que seria descumprido se qualquer informação fosse fornecida.

O presidente do Serpro não respondeu à coluna por que disse para a Câmara que não houve o encontro.

Em resposta a um requerimento de informações da bancada do Novo, Gurjão diz que “não houve reuniões com o senador Flávio Bolsonaro e nem com sua representação”.

Com informações da coluna de Guilherme Amado