Cidade Pandemia

Profissionais da Educação imunizados e prontos para a volta às aulas

Governador em exercício, Paco Britto, acompanha último dia de vacinação dos servidores e garante que campanha continua até vacinar profissionais da rede privada e ensino superior

Com 56 mil profissionais da educação imunizados, as aulas presenciais nas escolas públicas do Distrito Federal estão previstas para retornarem a partir do dia 2 de agosto. Na tarde deste domingo (11), o governador em exercício, Paco Britto, esteve presente no posto de vacinação no Parque da Cidade para acompanhar de perto o último dia da campanha de imunização para os servidores da área.

Segundo informação da Secretaria de Educação, 100% dos profissionais da rede pública estarão imunizados até o fim do dia. “Vamos garantir, ainda, que esse percentual também chegue à rede privada, que não parou de trabalhar e está mantendo as aulas presenciais”, destacou o secretário de Educação, Leandro Cruz.

Durante todo o domingo, quatro pontos de imunização estavam disponíveis para aplicar a vacina aos profissionais que haviam feito agendamento: um em Taguatinga (Taguaparque), um em Ceilândia (Sesc Ceilândia) e dois no Plano Piloto (Parque da Cidade e Torre de TV). A campanha de vacinação dos servidores começou no dia 18 de maio e eles estão recebendo a vacina Janssen, da Johnson & Johnson, que precisa de apenas uma dose, diferentemente das demais, aplicadas em duas doses.

“Poderemos, assim, garantindo a vacina com apenas uma dose aos profissionais da educação, garantir a volta às aulas no início de agosto, preservando vidas, que sempre foi o foco do Governo do Distrito Federal”, explicou Paco Britto.

De acordo com ele, porém, é importante que a população do DF não faça escolha de imunizante para que a vida volta ao normal na capital o mais rápido possível. “Estamos dando o tratamento e a lisura que a pandemia exige, sem esconder nenhum dado. Mas é importante que as pessoas tomem as vacinas disponíveis uma vez que todos os imunizantes aplicados no DF têm aprovação da Anvisa, portanto, são bons e confiáveis. Vacina boa é vacina no braço”, destacou o governador em exercício.

No DF, estão disponíveis para a população as vacinas Coronavac (vacina do Butantan em parceria com a biofarmacêutica chinesa Sinovac), a britânica britânica Oxford-Astrazeneca e a Pfizer BioNTech – todas com a necessidade de duas doses para imunização completa e eficaz.

Emoção

O professor de Ciências do Centro de Ensino Fundamental) CEF 08, de Sobradinho, Leonardo Sales, não segurou a emoção ainda enquanto estava na fila de imunização no estacionamento 12 do Parque da Cidade. “Estou muito emocionado porque foi um período muito difícil e a vacina é um símbolo de que a gente sobreviveu a esse período de tanta desvalorização da ciência. Hoje estou tomando a vacina graças à ciência, graças ao SUS (Sistema único de saúde)”, disse o educador.

A emoção também estava presente nos olhos e na fala da técnica de Saúde Ivanize Freitas, voluntária que passou o domingo aplicando vacinas nos profissionais de educação. “Fico muito feliz em fazer parte desse momento e em poder contribuir com a história. É um momento ímpar”, assegurou. “Estou muito satisfeito, com a sensação de dever cumprido e pronto para voltar ao trabalho”, assegurou o auxiliar de serviços da Escola Classe 19, do Gama, Aguinaldo Costa.

“Somos a única unidade da Federação que não está vacinando apenas professores, mas todos os profissionais da Educação, como serventes, merendeiras, secretários escolares, diretores”, destacou o governador em exercício. Para Paco, a determinação veio do governador Ibaneis Rocha para que as aulas pudessem ser retomadas no DF com toda a segurança possível. “Ele (governador) é o nosso maestro e rege muito bem a sua orquestra, a sua equipe. Por isso está fazendo um governo de realizações, mesmo tendo que lidar com uma pandemia no meio desse caminho”, completou.

Ao todo – incluindo o ensino superior, que ainda não foi imunizado -, o DF conta com 80 mil profissionais na área da Educação. Destes, 56 mil estão vacinados e, assim, prontos a retomarem as atividades nas escolas a partir de agosto. As aulas serão realizadas em sistema de escalas, sendo que metade da turma assistirá aulas presenciais durante uma semana enquanto a outra metade assistirá as aulas de forma remota (on-line). Na semana seguinte, trocam-se os grupos. Isso vai garantir o cumprimento das regras sanitárias exigidas pela Organização Mundial da saúde (OMS), como o distanciamento social.

O GDF já conseguiu imunizar todos os profissionais das creches, que já retomou as atividades desde o último dia 5 de julho. Ainda não há data prevista para início da vacinação dos profissionais do ensino superior e cursos livres – como línguas e outras atividades como balé, judô, entre outras.