Brasil Saúde

Programa Remédio em Casa vai beneficiar 8 mil usuários do SUS

Laçamento do Programa Remédio em Casa aconteceu nesta sexta-feira (30)Foto: Márcio Ferreira

Iniciativa pioneira no Nordeste garante a entrega domiciliar de medicamentos de alto custo a moradores de Maceió com alguma dificuldade de locomoção

 

 Severino Carvalho

Oito mil usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), em Maceió, serão atendidos, mensalmente, pelo Programa Remédio em Casa, lançado, nesta sexta-feira (30), pelo governador Renan Filho e o secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres. A iniciativa pioneira no Nordeste garante a entrega domiciliar de medicamentos de alto custo a pessoas que tenham alguma dificuldade para se dirigir ao Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (Ceaf), localizado no bairro Farol.

Laçamento do Programa Remédio em Casa aconteceu nesta sexta-feira (30) (Foto: Márcio Ferreira)
Renan Filho afirmou que mais do que medicamentos, o Governo do Estado leva respeito à casa dos alagoanos com o Programa Remédio em Casa, garantindo a inclusão e o acesso à assistência farmacêutica na capital. “O Estado agora faz o serviço de entrega domiciliar. Isso vai melhorar para o usuário e também para o Centro de Distribuição, que passará a ter um fluxo menor. Trata-se, portanto, de uma ideia inovadora para Alagoas”, declarou o governador.

O Programa Remédio em Casa atende pacientes com transtornos mentais, esclerose múltipla, síndrome congênita, acamados, com dificuldade de locomoção, transplantados e idosos a partir dos 80 anos. Segundo Alexandre Ayres, a ideia é proporcionar mais proximidade e conforto aos usuários.“Imagine um cidadão acamado, que não tem condição de se locomover para vir até aqui (Ceaf). Nessas condições, ele necessitava da ajuda de um familiar, de um amigo, de um vizinho. Agora, dando mais conforto e proximidade, vamos entregar esses medicamentos excepcionais e de alto custo na casa do cidadão”, disse Alexandre Ayres.

O Programa Remédio em Casa vai funcionar, inicialmente, em Maceió. A meta é atender, mensalmente, oito mil usuários. Os medicamentos serão entregues por meio de dez motoboys devidamente uniformizados e autorizados pela Sesau.”Temos hoje 1500 usuários cadastrados no Programa e vamos atingir o número de oito mil nos próximos quatro meses. São medicamentos de alto custo, específicos; muitos deles não são comercializados em farmácias”, observou Bianca Paes, assistente social e coordenadora do Programa Remédio em Casa.

Os pacientes acamados, ou com restrição ao leito e impossibilitados de tarefas cotidianas, cadastrados no SUS de Alagoas, poderão receber a medicação de uso contínuo em seus domicílios. Como a condição do paciente não permite que ele vá ao Ceaf, o cuidador do acamado é quem deve solicitar a inclusão no Programa Remédio em Casa. Assim, o responsável ou cuidador não necessita se ausentar de seu domicílio para pegar a medicação, proporcionando assistência integral ao paciente acamado, beneficiando e melhorando a qualidade de vida de ambos. O objetivo ainda é proporcionar um aumento da adesão ao tratamento e melhor controle clínico.

 

Adequado

O Programa Remédio em Casa conta com uma estrutura dentro do Ceaf, onde uma farmacêutica faz a conferência dos remédios que são separados para cada um dos usuários cadastrados. As caixas, individualizadas e lacradas nominalmente a cada paciente, são encaminhadas às casas dos assistidos para o tratamento adequado. Uma vez por mês os motoboys fazem a entrega nas visitas domiciliares.

As pessoas que tiverem interesse em aderir ao Programa, além de se encaixarem em um dos protocolos clínicos, precisam morar ou receber o medicamento em um endereço de abrangência na capital. Se ainda não for cadastrado no Ceaf, é preciso comparecer ao local, no Farol, que funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h30, com os devidos documentos (laudo e receita médicas) orientados pelo médico que realizou o diagnóstico, assim como CPF, comprovante de residência e cartão do SUS.

Após a solenidade, o governador e o secretário de Saúde acompanharam a primeira entrega de medicamentos do Programa na capital. Moradora da Rua Miguel Palmeira, no bairro do Pinheiro, Rosineide Frazão do Carmo, 46 anos, recebeu insulina, medicamento indispensável ao tratamento do diabetes. “Só em saber que naquela data o medicamento vai chegar à nossa casa é bom demais, uma benção”, declarou Rosineide.

PUBLICIDADE