Economia

Puxada por alimentos, inflação tem maior alta para setembro desde 2003

MICHAEL MELO/METRÓPOLES

IPCA foi puxado, novamente, pela alta registrada no grupo alimentação e bebidas. Preço do arroz variou cerca de 18% no mês

TÁCIO LORRAN

Puxada novamente pela alta nos preços dos alimentos e dos combustíveis, a inflação subiu 0,64% em setembro, ficando acima da taxa registrada em agosto (0,24%).

Este é o maior resultado para um mês de setembro desde 2003, quando o indicador foi de 0,78%. No ano, a inflação acumula alta de 1,34% e, nos últimos 12 meses, de 3,14%.

Os dados são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado nesta sexta-feira (9/10), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A maior variação e o maior impacto no IPCA vieram do grupo alimentação e bebidas, que acelerou em relação ao resultado de agosto, quando a alta foi de 0,78%.

Desta vez, o grupo foi puxado principalmente por alimentos para consumo no domicílio (2,89%), com o aumento nos preços do óleo de soja (27,54%) e do arroz (17,98%).

No ano, óleo de soja e arroz acumulam altas de 51,3% e 40,69%, respectivamente. Juntos, tiveram impacto maior que as carnes, cuja a variação foi de 4,53%.

Outros produtos que subiram na cesta das famílias foram o tomate (11,72%) e o leite longa vida (6,01%). Por outro lado, caíram os preços da cebola (-11,8%), da batata-inglesa (-6,3%), do alho (-4,54%) e das frutas (-1,59%).

PUBLICIDADE