Esportes

Renato exalta trabalho após mais uma vitória do Flamengo: “É muito bom, os números não mentem”

Renato comemora o primeiro gol do Flamengo com Bruno Henrique — Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Por Redação do Ge — Rio de Janeiro

Venceu em ritmo de treino e praticamente não sofreu riscos. O Flamengo cumpriu à risca neste domingo sua missão para seguir na caça ao Atlético-MG na busca pelo tricampeonato do Brasileirão, e o treinador gostou do que viu. Após o 3 a 0 sobre o Athletico-PR, Renato Gaúcho foi só elogios para os comandados.

Com grande atuação de Andreas Pereira, que fechou o placar, e gols também de Everton Ribeiro e Bruno Henrique, o Flamengo resolveu a partida ainda no primeiro tempo. Renato se mostrou satisfeito com o que viu em campo e avaliou o trabalho no comando da equipe

– Meu trabalho está ligado ao grupo, e acho muito bom. Até porque, os números não mentem. O Flamengo está numa semifinal de Copa do Brasil, final de Libertadores, estamos brigando no Brasileiro. Estamos vivos nas três competições. Vamos dar continuidade para chegar ao objetivo de dar a volta olímpica.

 

Flamengo com Renato Gaúcho

  • 20 jogos
  • 16 vitórias
  • 2 empates
  • 2 derrotas
  • 58 gols marcados
  • 13 sofridos

 

Com a vitória, o Flamengo chegou aos 38 pontos em 20 partidas no Brasileirão – dois a menos que o líder Atlético-MG, que tem dois jogos a mais e 49 pontos. Sem Arrascaeta, Isla, Gabriel e Everton Ribeiro, que servem suas seleções em rodadas das eliminatórias, a equipe tem pela frente o Bragantino, quarta-feira, às 20h30 (de Brasília), fora de casa.

A Voz da Torcida – Arthur Muhlenberg: “Flamengo contra o mundo é o nosso grande jogo”

Confira outros trechos da entrevista coletiva

 

Jogos adiados

– O Landim foi muito feliz na colocação dele. Não cabe muito ao treinador entrar nesses detalhes, mas acho que as datas Fifa deveriam ser cumpridas. O Flamengo está disputando três competições, joga uma decisão a cada três dias. Nosso grupo é muito bom, sempre elogio, mas são quatro jogadores servindo seleções e nessas horas os únicos beneficiados são os adversários. É difícil entender certas coisas. O Flamengo tem sido muito prejudicado, inclusive com datas de jogos. Em menos de uma semana, o Flamengo vai fazer três jogos, fora as viagens. É difícil de entender.

Kenedy

– Uma hora ele tem que jogar. Temos preparado o Kenedy, tenho conversado com ele e temos todos os cuidados. Ele estava há muito tempo sem jogar. Vamos colocando aos poucos e uma hora vai ter que aumentar esses números. Jogou 45 minutos, gosta de jogar pela direita, mas também joga pela esquerda. Jogador precisa de ritmo e só vai ganhar jogando. Tecnicamente não foi tão bem, mas é normal pelo tempo parado.

Atuação no primeiro tempo

– O sonho do treinador é que a equipe possa jogar sempre dessa forma do primeiro tempo, mas é impossível pelo ritmo. Fiquei muito feliz, treinamos para isso no dia a dia, mas é difícil manter o ritmo durante os 90 minutos. Fizemos tudo certinho do jeito que programamos, do jeito que passei na preleção, e conseguimos a vantagem no início do jogo. O Athletico deu praticamente um chute ao nosso gol. Foi importante fazer os dois gols no início, fez com que o jogo ficasse ao nosso favor.

Busca pelo tri

– O grupo está sempre motivado e querendo ganhar. Claro que queremos ganhar o Brasileiro, mas tem equipes que são beneficiadas e jogam uma vez por semana. O Flamengo está sempre dentro do campo, tem jogadores na seleção. Trabalhamos para ganhar. Temos uma distância boa em relação ao Atlético, mas temos jogos a menos. O importante é buscar os três pontos a cada jogo e ver o que vai acontecer. É difícil? É. Mas não é impossível. Só que tem clubes com duas competições, uma competição. Nós temos três e jogadores nas seleções. Vamos brigar.

Maratona de jogos

– Aí, entra no aspecto de que quando tiro falam que estou poupando o jogador. É o que falo de que as pessoas falam sem saber o que acontece. O Athletico teve uma decisão na quinta-feira e hoje poupou. O jogador se lesiona por isso, excesso de jogos e viagens. As pessoas não têm informação de que os índices estão altos, o jogador está com lesão… Queremos sempre ganhar, mas colocar todo mundo em campo nem sempre é possível. Se eu não seguro o jogador de uma partida, ele se lesiona e fica fora de vários jogos. Mas as pessoas não querem entender isso. É difícil agradar todo mundo, mas vamos sempre tomar as melhores decisões.

Bruno Henrique

– Volta aquele discurso da sequência de jogos. A gente segura o jogador e vão achar que estou poupando. Logo no início, ele colocou a mão no adutor e disse que não era nada. Fomos conversando, conversando, e quando terminou o primeiro tempo ele pediu para sair por precaução. Vamos esperar 24 horas. Segunda-feira ele vai fazer o exame e saberemos se tem lesão ou não.

Filipe Luís

– Falo quase que diariamente com ele que é bonito vê-lo jogar. Contra o Barcelona, ele jogou muito. É um jogador inteligente, que conhece os atalhos e passa tranquilidade para companheiros e treinador. É um líder. Que possa jogar muito tempo ainda, porque é bonito de ver.